Defensoria Pública do Rio assinou acordo com o Instituto Alicerce para garantir educação a adolescentes em cumprimento de medidas socioeducativas
Reprodução
Defensoria Pública do Rio assinou acordo com o Instituto Alicerce para garantir educação a adolescentes em cumprimento de medidas socioeducativas

A polarização política no Brasil não somente desagrega amizades iniciadas na infância como separa pessoas de uma mesma família. Este ambiente tóxico atrapalha boas iniciativas inclusivas. Por isso, é louvável a notícia de que a Defensoria Pública do  Rio assinou acordo com o Instituto Alicerce para garantir educação a adolescentes em cumprimento de medidas socioeducativas.

Oitenta adolescentes, de 12 a 18 anos, que estão em cumprimento de medidas socioeducativas participarão de um polo educacional na cidade de São João de Meriti, para assistir diretamente os adolescentes e suas famílias. Eles receberão aulas extras três vezes por semana no contraturno escolar, das disciplinas de leitura, escrita, matemática e temáticas contemporâneas, com direito a lanche.

O objetivo principal é a correção da defasagem escolar, com a perspectiva de construção de um projeto de vida para esses jovens e encaminhamento para cursos profissionalizantes. A duração do programa educacional é de 12 meses. "Estamos apostando na escolarização como estratégia de inserção social plena, articulada à reconstrução de projetos de vida e à garantia de direitos desses meninos e meninas que acabaram se envolvendo com a prática infracional", diz o coordenador de Infância e Juventude da Defensoria, Rodrigo Azambuja.

BOAS INICIATIVAS

Uma outra iniciativa vitoriosa que existe desde 2010 e foi liderada pelo psicopedagogo Eduardo Caon é a TV Degase, onde a garotada aprende a fazer produção audiovisual de jovens infratores que cumpriam medidas socioeducativas em unidades do Departamento Geral de Ações Socioeducativas (Degase).

Caon se aposentou em 2020 e assumiu o seu lugar duas ex-alunas, Rebeka Terra, que hoje cursa pedagogia na Universidade Federal Fluminense (UFF), e Thamires Oliveira, que se prepara para fazer o Enem deste ano. "Hoje, eu tenho o maior orgulho de falar que eu sou professora da TV Degase, uma ex-interna. Eu sou um exemplo de vida para os meus alunos. Eu tenho esse contato direto onde eu consigo passar para eles que é possível mudar de vida. E, se eu mudei, foi graças a Deus e ao audiovisual", conta Thamires.

Furto de cabos e fios elétricos

Vereador Márcio Ribeiro (Avante) deu entrada a projeto de lei que determina que a instalação de cabos e fios aéreos, existente nas vias públicas, passem para instalação subterrânea, pelas concessionárias, em até cinco anos.

Você viu?

Objetivo é evitar furto de cabos e fios de cobre. Levantamento feito pelo Sindicato das Empresas de Telecomunicação mostrou que em 2019 foram roubados cerca de quatro milhões de metros de fios e cabos no Rio . A ação prejudicou cerca de cinco milhões de usuários no estado e provoca um prejuízo anual estimado em R$ 700 milhões.

Setor de petróleo e gás

CPI dos Royalties é prorrogada na Alerj e pede lista de petrolíferas incluídas na Divida Ativa. Hoje, está prevista assinatura do convênio entre Secretaria estadual de Fazenda (Sefaz) e Agência Nacional do Petróleo (ANP) para fiscalizar o pagamento de royalties e participações especiais do setor.

Reestruturação no TCE-RJ

Secretaria-Geral de Controle Externo do Tribunal de Contas do Estado do Rio de Janeiro é reestruturada. Auditorias programadas estarão interligadas e os relatórios serão produzidos tendo como perspectiva a avaliação da política pública como um todo.


Tuitadas do Nuno

A Prefeitura do Rio antecipou o calendário de vacinação contra a covid-19. Essa semana vão receber a vacina pessoas de 53 a 50 anos, além de profissionais da Educação do Ensino Superior e profissionalizante. Vacina no braço e plano econômico pós-pandemia. É isso que precisamos!

A morte do maior chefe milícia do Estado do Rio, Wellington da Silva Braga, o Ecko, pede agilidade da inteligência. Não se pode perder tempo pensando em quem assumirá o lugar dele, mas sim pegar as rédeas da situação e retomar o controle do Estado nas áreas dominadas.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários