Nem tudo que reluz é ouro
Arte coluna caminho da sabedoria
Nem tudo que reluz é ouro

Existe um ditado antigo que diz: “Nem tudo que reluz é ouro”, esse ditado se encaixa bem nesse momento, somos muito impactados pelo que vemos, e nossos olhos, por inúmeras vezes, nos enganam.

Em algumas circunstâncias, só conseguimos perceber a diferença, ou o que realmente é, quando experimentamos ou vivemos as circunstâncias.

Às vezes, um sorriso estampado no rosto esconde uma dor que estraçalha o coração.

Não confie em tudo que você vê, porque, à primeira vista, até o sal parece açúcar.

Por isso nunca se precipite em seu julgamento. Algumas coisas, que, à primeira vista, parecem boas podem ser ruins, e as coisas ruins podem ser boas, se vistas de um outro ângulo.

Vivemos a geração das aparências.

Nunca, na história da humanidade, as pessoas foram tão extraordinariamente lindas, e, em contrapartida, tão superficiais, tão vazias e infelizes. Dependentes de visualizações e curtidas nas mídias sociais.

A Organização Mundial de Saúde afirma que ocorre um suicídio a cada 40 segundos no mundo todos os anos.

Isso se dá por causa dos altos níveis de frustração, decepção, e baixa autoestima, sintomas emocionais que, se não forem tratados, levam a depressão, o que traz uma dor na alma insuportável.

Quem comete suicídio não quer morrer realmente, simplesmente quer acabar com a dor da alma.

Por outro lado, vamos ver coisas ruins se transformarem em coisas boas. Algumas aflições e problemas que enfrentamos ao longo da vida podem nos amadurecer e nos fortalecer.

Existe um conto que narra a história de um viajante que parou num humilde sítio, pedindo para pernoitar e seguir viagem pela manhã.

E, conversando com o dono da terra, descobriu que tudo que ele tinha era uma vaca leiteira, da onde ele tirava o pouco sustento de sua família há muitos anos.

Ao partir, o viajante pediu ao seu empregado que fosse ao curral e matasse a vaca.

Então este retrucou, como você vai fazer o mal, para quem lhe fez o bem? Ao que o viajante disse: vai lá e mata a vaca, eu sei o que estou fazendo.

Anos mais tarde, aquele viajante voltou ao sítio, que agora era uma próspera fazenda produtora de grãos.

Ao indagar como foi que ele prosperou tanto, ele contou que alguém matou a vaca dele, então com o dinheiro da venda da vaca abatida, não dava para comprar outra vaca, então compraram sementes, e mudaram o negócio da família, e, assim, prosperaram muito.

Como está escrito na Bíblia em Rm 8.28: “E sabemos que todas as coisas contribuem juntamente para o bem daqueles que amam a Deus, daqueles que são chamados segundo o seu propósito”.

A forma como enfrentamos as adversidades pode nos favorecer ou nos prejudicar; precisamos aprender a tirar o melhor de tudo, mas, se não soubermos como, pedir ajuda para quem sabe é um bom começo.

Pense nisso!

Deus abençoe a tua semana.

Entre no  canal do Último Segundo no Telegram e veja as principais notícias do dia no Brasil e no Mundo. Siga também o  perfil geral do Portal iG.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários