Escreva os seus sentimentos, é um poderoso exercício de autoconhecimento
Reprodução
Escreva os seus sentimentos, é um poderoso exercício de autoconhecimento

Escrever os sentimentos é uma prática terapêutica muito utilizada por psicólogos de todo o mundo; é uma ferramenta poderosa contra diversas doenças psicossomáticas, aquelas causadas por  problemas emocionais. “É uma maneira de colocar para fora o que dói e incomoda, sem medo e sem filtros, sem receio de ser julgado ou mal-interpretado por pessoas do convívio”, explica a psicóloga Kelly Tirelli no site Correio Braziliense.

“Querido diário, hoje eu...”, não era assim que as meninas escreviam em seus diários antigamente? Parecia bobo, mas elas amavam descrever as experiências mais marcantes naquele caderninho com cadeado guardado a sete chaves.

A prática de escrever é antiga, já dizia o poeta Fernando Pessoa: “Se escrevo o que sinto é porque assim diminuo a febre de sentir”. Mais importante que escrever sobre determinada situação, é escrever sobre os sentimentos vividos. Isso ajuda a alinhar as ideias, e, depois, ao ler o que foi escrito, você verá com clareza o que sentiu e poderá perceber soluções que antes estavam encobertas.

São inúmeros os benefícios da escrita, principalmente se for à mão. Pesquisadores noruegueses afirmam que para o cérebro, escrever à mão é ainda melhor que digitar em um teclado. Eles garantem que aumenta a retenção de informações e melhora o aprendizado.

Na Bíblia, existe um livro chamado Salmos, onde estão registrados os sentimentos de alguns homens de Deus como o rei Davi. Este é um dos livros mais queridos das Sagradas Escrituras. Muitas pessoas têm Salmos decorados de tão bonitos que são. Nos soam como poesias, mas descrevem sentimentos. Olha só: “...Tem misericórdia de mim, ó Senhor, porque estou angustiado; consumidos estão de tristeza os meus olhos, a minha alma e o meu corpo. Porque a minha vida está gasta de tristeza, e os meus anos, de suspiros; a minha força descai por causa da minha iniquidade, e os meus ossos se consomem...”, Sl 31. 9-12.


Se você está em um momento de confusão mental e indecisão, ou em qualquer outra situação na qual é difícil ter discernimento, escreva. Escreva o que você está sentindo, isso ajuda a olhar de fora para o que realmente o incomoda; o que você deseja, e o que você não quer mais.

Muitas vezes, olhando assim de fora, a questão vai parecer menor, ou, ao menos, mais fácil de solucionar. Pode ser que, lendo sobre seus sentimentos, você descubra que existe um ponto que é o gatilho de tudo. Escreva o que você sente, o que o incomoda. Escrever o ajudará a focar seus pensamentos e é um poderoso exercício de autoconhecimento.

Acredite! Deus te abençoe.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários