undefined
Divulgação
Empoderadas, as irmãs Venancio oferecem ao mercado um produto pouco explorado, dentro da ótica da inclusão social

Joyce, Lúcia e Cristina, as irmãs Venancio, hoje empresárias de sucesso, na infância, não se reconheciam no brinquedo que povoa os sonhos da maioria das meninas: a boneca. A educação que receberam da família fez com que elas não se sentissem excluídas, por isso estudaram e foram à luta. Surgiu, então, a marca Preta Pretinha.

Leia também: Mylena Jardim, vencedora do The Voice Brasil 2016 será Whitney Houston em musical

undefined
Divulgação
Diversidade é coisa séria, mas, as empresárias transformam em alegria na luta pela diversidade, produzindo bonecos de todas as raças

“A nossa primeira cliente foi a atriz Bete Farias”, recorda Lúcia. “Ela ficou encantada com as bonecas negras, fez elogios e levou duas para a netinha”. A loja, no bairro de Vila Madalena, em São Paulo, já virou referência quando se trata de bonecas negras. Com o slogan “Diversidade é coisa séria, mas, a gente transforma em alegria!” elas passaram a investir também na produção de bonecas orientais, portadoras de deficiência física e com síndrome de down.

Leia também: Paula Lima, a diva do suingue é dona de uma das vozes mais marcantes do país

undefined
Divulgação
A Preta Pretinha surgiu de um sonho de infância das irmãs Venancio. Hoje, as bonecas negras são sucesso!

A "brincadeira" virou uma luta pelo respeito, pela inclusão e a diversidade. “Temos uma linha diversa e contemplamos todas as etnias, principalmente a linha inclusiva que apresenta os bonecos com deficiências. É gratificante termos um nicho que nos remete a satisfação de podermos passar, através dos bonecos, uma mensagem de união para o mundo”.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Mostrar mais

      Comentários