Tamanho do texto

Estamos na moda: nossas raízes ganham força em peças do vestuário, abrigando influências africanas e brilhando nas ruas e nas passarelas.

Mama Nossa Cultura  em editorial de moda com influências africanas
Divulgação
Mama Nossa Cultura em editorial de moda com influências africanas

Diamou Fallou Diop, estilista senegalesa, mais conhecida como Grand Mama está no Brasil há 10 anos. Demonstrou interesse pela moda africana aos 16 anos, tendo como inspiração a famosa estilista africana Diouma Dieng Diakhate. Em São Paulo, trabalhou como faxineira em uma Escola Municipal e em seguida com artesanato e revenda de tecidos africanos. Sofisticada e cheia de estilo, suas vestimentas africanas e os exuberantes turbantes chamavam atenção por onde passava. "Começaram a surgir encomendas de roupas", recorda a expert profissional que já rodou o mundo -- conheceu a Espanha, França e alguns países africanos. Empolgada com tantos elogios, resolveu confeccionar peças exclusivas, chamando atenção de brasileiros e africanos. Hoje, é uma das estilistas africanas mais conhecidas no Brasil: seus looks vestem diversas celebridades, entre elas a cantora Elza Soares e a Miss Brasil Raissa Santana. Atualmente, vem se destacando também nas passarelas e nos editoriais de moda com a marca "Mama Nossa Cultura”. As Inspirações para suas criações vêm do próprio continente africano, no qual Mama dissemina suas raízes através das cores, dos tecidos, dos acessórios e da cultura africana.

Leia também: Meu turbante é minha coroa!

O pequeno Enzo Santiago está cheio de estilo com a moda Afro Negrif Kids
Divulgação
O pequeno Enzo Santiago está cheio de estilo com a moda Afro Negrif Kids


As roupas africanas possuem um toque de tradição tanto em seus modelos como nas estampas. "100% identidade. A minha maior inspiração são as ruas, onde encontro gente de corpos e desejos diferentes", explica a dona da Negrif. "Tudo isso aliado ao continente africano, suas cores e a imponência de reis e rainhas. Assim é a Negrif, uma marca que valoriza cada pessoa na sua essência", afirma Mada Negrif, designer de moda e estilista que assina as peças da marca. "É a moda aliada a desejos diferentes: crio peças que se identifiquem com as ruas de Salvador", ressalta a filha de costureira. Mada começou sua trajetória vendendo roupas "na sacola". Com o sucesso, em 2011, abriu a primeira loja e tornou-se pioneira em trabalhar com estampas que retratam mulheres impressas eu suas peças. "Com este trabalho diferenciado ganhei o mercado e hoje sou representada em seis estados brasileiros", comemora a designer de moda, pós graduada em gestão e produção de eventos.

Leia também: Cabeleireiro das estrelas: conheça Wilson Eliodorio

Acessórios Sou Diva. Tá Bom Pra Você? Fazendo a diferença nos looks
Divulgação
Acessórios Sou Diva. Tá Bom Pra Você? Fazendo a diferença nos looks

Um vestuário afro-brasileiro que resgata as nossas raízes: vestidos, saias, calças, calçados, bolsas e acessórios para compor o look. "Cor, estilo e alegria! Os tecidos africanos retratam bem isso!", garante o empresário Mário Farias, responsável pela Sou Diva Acessórios. "A marca surgiu em 2009, após ter feito uma coleção feminina de roupa em um projeto da Faculdade de Design de Moda. Senti a necessidade dos acessórios para compor os looks. Com isso, criei uma marca que fugisse das habituais semijoias", recorda. "Iniciei uma pesquisa nas pinturas corporais das tribos africanas e nas cores das estampas. A partir daí comecei a produção dos acessórios em tecidos africanos, fontes de inspiração para criação da nossa moda!"

Leia também: Sua pele. Dicas da dermatologista das estrelas

Moda Color Block da marca Meninos Rei. Coleção African Pop
Divulgação
Moda Color Block da marca Meninos Rei. Coleção African Pop

African Pop. Heranças da cultura africana fazem a moda na Bahia de todos os Santos e encantos: tons vibrantes -- roupas compostas por diferentes combinações de cores e estilos. Tudo junto e misturado, numa moda Color Block (a tendência de misturar cores vibrantes e chamativas em um mesmo look, bem popular no início dos anos 1960 e final dos anos 1980). "Moda para homens ousados, autênticos e cheios de personalidade", faz questão de frisar o empresário Junior Rocha, de olho na vaidade masculina. A marca Meninos Rei aposta na originalidade e no estilo de sua nova coleção. "Estive recentemente na África buscando inspiração. O resultado está aí: tons vibrantes e alegres. Tudo junto e misturado sem perder a autenticidade e o estilo da marca", explica.


Leia também: Racismo Virtual. Como "deletar" os infratores

A estilista Fa Thereza posa com Alexandra Loras ex-consulesa da França
Divulgação
A estilista Fa Thereza posa com Alexandra Loras ex-consulesa da França

Fa Thereza da Silva é Designer de moda, idealizadora dá marca Santa Thereza. "A moda Afro é antes de tudo comunicação. Por isso, trabalho a autoestima, o empoderamento e a identidade dá mulher", faz questão de frisar. Para a elegante empresária, as referências que usa trazem em sua essência a ancestralidade e a identidade que nos conecta a mãe África. "Em minhas criações, aposto sempre em combinação de cores, texturas, estampas e formas marcantes", explica. "A África é uma fonte inesgotável de inspiração, realizo pesquisas em sites , acompanho desfiles ligados ao tema e observo o desejo único de cada mulher. Para compor a moda afro, temos também muitos acessórios, eles são essenciais aos looks."

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.