Girafa branca e seu filhote foram mortos por caçadores
Hirola Community Conservancy
Girafa branca e seu filhote foram mortos por caçadores


Oficiais do departamento de vida selvagem do Quênia encontraram ossadas dentro do território do santuário Ishaqbini Hirola Conservancy, nesta terça-feira (11), e constataram duas perdas enormes na luta pela preservação de espécies. Os ossos pertenciam a duas girafas brancas , extremamente raras.

Uma delas era uma fêmea adulta, a única da espécie no Quênia, e a outra era seu filhote. Segundo os oficiais, os animais foram mortos por praticantes de caça ilegal . Eles foram chamados por funcionários do santuário, que não tinham notícias das girafas há bastante tempo. Pelo estado das ossadas, estima-se que elas tenham morrido há cerca de quatro meses.

Leia também: Tartarugas sentem atração mortal pelo cheiro de plástico podre

“Esta é uma perda de longo prazo, uma vez que os estudos e pesquisas em genética, que tiveram um investimento significativo na área , foram agora para o ralo. Além disso, a girafa branca foi um grande incentivo ao turismo na área”, afirmou Mohammed Ahmednoor, diretor da reserva.

Raridade

O registro de girafas brancas é muito raro, e não há como saber quantas podem existir. A unidade conservação do Quênia diz que os espécimes que vivam em seu território eram os únicos restantes no mundo, mas outra girafa branca já foi fotografada em 2016, em um parque nacional da Tanzânia. No Quênia, ainda resta um macho.

As girafas brancas não são albinas. O que deixa elas brancas é o leucismo, condição genética que, diferente do albinismo, permite que o animal continue produzindo pigmentos em seus tecidos moles. Por isso, essas girafas têm os olhos escuros.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários