Chefe do Imac mantinha tartaruga presa por uma corda
Reprodução
Chefe do Imac mantinha tartaruga presa por uma corda


O chefe regional do Instituto do Meio Ambiente do Acre ( Imac ) , Mario Correia da Sena , foi afastado do cargo por manter uma tartaruga silvestre em cativeiro, dentro Da unidade que chefiava, em Feijó, munícipio que fica a mais de 350 quilômetros da capital Rio Branco.

O animal, da espécie tartaruga-da-amazônia, foi encontrado por Paula Joseanny da Silva, fiscal ambiental da Divisão de Fauna do Imac, na última segunda-feira (2). Ela estava na em Feijó para realizar fiscalizações e oreintar criadores de aves da cidade, e se espantou com o que viu na sede do órgão.

Leia também: CPI do óleo no Nordeste cobra esclarecimentos sobre plano de contingência

A fiscal contou, em relato ao Acre 24 horas, que encontrou a tartaruga em um gramado, dentro de uma espécie de poça d’água, amarrada a uma corda, que estava presa a um buraco no casco do réptil. Então, ela gravou um vídeo e teve uma discussão com Sena, enquanto captava a cena do crime ambiental.

Crime

Sena admitiu que não tem licença para criar o animal, mas alegou que já havia consultado o Ibama sobre a possibilidade de legalizar a situação. A ideia do servidor era deixar o animal na sede para exibi-lo a turistas e demais visitantes. O Imac está investigando o caso para decidir se mantém Sena no cargo.

Além da polêmica com a tartaruga, Mario Correia da Sena foi citado, pelo Ministério Público do Estado do Acre, na última quinta-feira (5), como suspeito de emitir falsa autorizações para doação, transporte de madeira e extração ilegal.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Mostrar mais

      Comentários