morcegos
Pixabay/Creative Commons
Não existem provas científicas da relação entre os morcegos e o coronavírus.

Historicamente, os morcegos são vistos no oriente como símbolos de felicidade e renascimento. Já no ocidente, os animais são frequentemente associados com a morte, com a escuridão e com outros aspectos negativos. E, por conta das recentes associações da espécie com a proliferação do coronavírus, essa imagem negativa do mamífero entra a população ocidental vem ganhando força.

Leia também: Enquanto China fez hospital em dez dias, Rio tem obras inacabadas há anos

A associação dos morcegos com a doença começou há duas semanas, quando um estudo desenvolvido por cientistas chineses e publicado na Journal of Medical Virology disse que a sopa de morcego, uma iguaria local, teria sido uma das responsáveis por espalhar o coronavírus na China. E, mesmo sem nenhuma confirmação científica da relação entre o prato e o vírus, o animal passasse a ser considerado responsável pela transmissão da doença.

Entretanto, apesar de estar sendo visto como um “vilão” no meio da epidemia de coronavírus , os morcegos seguem sendo essenciais para a vida humana por sua importância na natureza. A bióloga Viviane Bozolan destaca o papel fundamental dos morcegos na polinização e na preservação dos ecossistemas.

Leia também: Câmara aprova PL com medidas de contenção do coronavírus no Brasil

"A maior parte deles (morcegos) são frugívoros - se alimentam de frutos - e acabam liberando sementes nas fezes, contribuindo para o reflorestamento e para a manutenção dos ecossistemas terrestres na disseminação de sementes", diz a bióloga, que completa dizendo que os animais também são importantes no controle de pragas. “Eles (morcegos) também acabam fazendo do controle de diversas pragas, uma vez que eles se alimentam de um grande número de insetos”.

Batman
Divulgação
O Batman é um dos principais personagens da cultura pop.

A bióloga também diz que a desinformação da população sobre a participação ou não dos morcegos na proliferação do coronavírus pode ser perigosa para a espécie. “Pela falta de informação, (as pessoas) acabam acreditando que os morcegos servem apenas para transmitir doenças . Se a população não for devidamente orientada, pode acontecer com eles o que acontece com os macacos quando há surto de febre-amarela”.

Leia também: Menino com paralisia morre sozinho após pai ser colocado em quarentena na China

Representações

Apesar de todas as associações negativas no ocidente, os morcegos estão presentes na cultura pop. Além de serem o animal símbolo de um dos principais personagens da história, o Batman , os mamíferos também são retratados, mesmo que indiretamente, em outras produções, como o romance Drácula, lançado em 1897 e que inspirou diversas adaptações. 

Tipos de morcegos

Estima-se que existam cerca de mil espécies de morcego em todo o mundo. Dentre elas, 70% é insetívora; isto é, se alimentam apenas de insetos. A maioria do restante é frugívoro, com exceção de três espécies que se alimentam exclusivamente de sangue. Tais espécies são chamadas de hematófagos ou vampiros e são encontrados apenas na América Latina.

Até o momento, foram encontradas 178 espécies de morcego vivendo em solo brasileiro. Dentre elas, estão as três que se alimentam exclusivamente de sangue. São elas: morcego-vampiro-comum ( Desmodus rotundus ), morcego-vampiro-de-pernas-peludas ( Diphylla ecaudata ) e morcego-vampiro-de-asas-brancas ( Diaemus youngi ).

Leia também: Leopardo rouba comida da boca de crocodilo na África; assista

O que fazer ao ver um morcego?

Caso encontre um morcego dentro de sua casa, não toque nele, já que ele pode estar infectado com raiva . O mais recomendado é isolar o cômodo no qual o animal está e abrir a janela para que ele deixe o local, sem tentar capturá-lo. Se o animal não sair, recomenda-se acionar a Vigilância Epidemiológica e o Centro de Controle de Zoonoses de Araucária (CCZ).

    Veja Também

      Mostrar mais