Hoje (06) foi publicada no Diário Oficial da União a decisão do Presidente Jair Bolsonaro de excluir a sociedade civil do Fundo Nacional do Meio Ambiente. A instituição é responsável por buscar alternativas sustentáveis para o uso dos recursos naturais do país.

Leia também: Bolsonaro anuncia projeto que regulamenta exploração de terras indígenas

Presidente Jair Bolsonaro
Jorge William / Agência O Globo
Presidente Jair Bolsonaro


Antes da decisão do Presidente , o FNMA era composto também por representantes da Anamma (Associação Nacional de Municípios e Meio Ambiente), Abema (Associação Brasileira de Entidades e Meio Ambiente), SBPC (Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência) e FBOMS (Fórum Brasileiro de ONGs e Movimentos Sociais para o Meio Ambiente e Desenvolvimento). 

Leia também: Bolsonaro ameaça com 'cartão vermelho' ministros que usarem cargo nas eleições

O Fundo passa a ser composto, após o decreto de Bolsonaro, por:

  • Ministro de Estado do Meio Ambiente (Presidente)
  • Representante da Casa Civil da Presidência da República
  • Representante do Ministério da Economia
  • Representante do Ministério do Meio Ambiente
  • Representante do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama)
  • Representante do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio)

    Veja Também

      Mostrar mais