Tamanho do texto

Entre janeiro e 12 de setembro deste ano, o número de focos no Pantanal subiu 324% em relação ao mesmo período do ano passado

Planeta

Focos de incêndio costumam menores nesta época do ano por conta do alto índice de chuvas arrow-options
Chico Ribeiro/Governo do Mato Grosso do Sul
Focos de incêndio costumam menores nesta época do ano por conta do alto índice de chuvas


O Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis ( Ibama ) suspeita que os incêndios registrados em Mato Grosso do Sul foram provocados por ação humana. Por meio da assessoria de imprensa, a autarquia informou à Agência Brasil que autoridades competentes já abriram investigação para apurar as ocorrências.

Leia também: Focos de incêndio no Pantanal crescem 462% em relação a 2018

Em outubro, o Corpo de Bombeiros Militar de Mato Grosso do Sul ponderou que a quantidade de focos de incêndio tem fortalecido a tese de que as queimadas sejam criminosas. Dados do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) mostram que, entre janeiro e 12 de setembro deste ano, houve um aumento de 324% nos focos no Pantanal em relação ao mesmo período do ano passado.

De acordo com o Ibama , os casos têm sido identificados desde agosto em torno dos municípios de Corumbá, Aquidauana e Miranda. A estimativa é que a área atingida já chegue a 130 mil hectares, de acordo com informações obtidas a partir do monitoramento de satélites do Inpe.

Leia também: "Impacto de lama no mar seria como dizimar Pantanal", diz biólogo

    O governo sul-mato-grossense informou que o fogo se espalhou por dois importantes pontos do Pantanal: o Parque Estadual do Pantanal do Rio Negro, considerado berço dos peixes do bioma, e uma parte da Serra do Amolar, que abriga diversas espécies animais e vegetais.

    As chamas alcançaram também o distrito de Forte Coimbra, erigido pelos portugueses no século 18. Verifica-se ainda um possível foco de incêndio no Parque Estadual das Várzeas do Rio Ivinhema, que fica a aproximadamente 800 quilômetros de Corumbá.

    Leia também: Ambientalistas brasileiros pedem proteção do Pantanal

    Envio de militares

    Por meio de nota, o Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR) informou que 37 homens do Corpo de Bombeiros Militar do Distrito Federal, seis viaturas e uma aeronave serão enviados às áreas de preservação ambiental no Pantanal sul mato-grossense para participar da operação emergencial de combate aos incêndios .

    No último domingo (3 de novembro), sete bombeiros e uma aeronave seguiram para a região que abrange os municípios de Miranda, Corumbá e Aquidauana. Outros 30 homens embarcam para o estado na madrugada desta quarta-feira (6).

    Leia também: Com chuvas, MS tem recorde de cidades em situação de emergência

    “A equipe que já se encontra no Mato Grosso do Sul está trabalhando na operação com a aeronave, que tem capacidade de armazenamento de 3 mil litros de água. Os demais que chegam ao Pantanal juntamente com as viaturas, na quarta-feira, atuarão no combate ao fogo via terrestre”, destacou a pasta.

    Na última sexta-feira (1º), a Secretaria Nacional de Proteção e Defesa Civil (Sedec) reconheceu situação de emergência devido aos incêndios que atingem parques, áreas de proteção ambiental e de preservação permanente do Pantanal.