Agentes limpam óleo de praia
Luca Castro/Fotoarena/Agência O Globo
Agentes limpam óleo na Praia da Pituba, em Salvador

Um estudo realizado pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) aponta que o óleo que atinge o litoral do nordeste há dois meses pode chegar também às praias do Espírito Santo e do Rio de Janeiro. Segundo os pesquisadores, uma grande quantidade de óleo ainda pode estar represada em alto mar.

Leia também: Fragmentos de óleo são recolhidos na região de Abrolhos, diz Marinha

O Inpe foi acionado pelo comitê de crise do governo federal na última sexta-feira (25) e tem trabalhado no monitoramento dos locais onde o óleo é encontrado no mar. A principal hipótese do órgão é a de que haja muito mais óleo em alto mar. 

Esse material pode avançar ainda mais e chegar ao Espírito Santo e ao norte do Rio de Janeiro. De acordo com os cientistas, é pouco provável que o óleo chegue a São Paulo em função de características geográficas da costa brasileira .

Leia também: Imagens mostram mancha de óleo de 200km no dia do vazamento

"Estamos mapeando com o satélite essas áreas predeterminadas e desenhando mapas para que os navios de pesquisa possam ir a esses locais e identificar se há uma massa de óleo e então retirar isso”, explicou o oceanógrafo Ronald Souza em entrevista coletiva.

A primeira ação do Inpe foi analisar a imagem que retratava uma suposta grande mancha de óleo, que chegou-se a acreditar ser a origem do vazamento. O órgão constatou, no entanto, que se tratava de uma concentração de algas marinhas.

Leia também: Com discurso ideológico, Salles fica acuado em meio às catástrofes ambientais

Os pesquisadores estudam agora o curso do óleo , com base em quais praias ele tem aparecido e em que ordem. A análise até agora é complexa e indica a possibilidade da existência de grande quantidade do material em alto mar.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Mostrar mais

      Comentários