Tamanho do texto

De acordo com nota divulgada pelo Ibama na última terça-feira (01), o número de praias afetadas subiu para 115; até agora foram encontrados 11 animais cobertos por óleo;

Praias afetadas por óleo no nordeste, de acordo com Ibama arrow-options
ibama/divulgação
Praias afetadas por óleo no nordeste, de acordo com Ibama



O Ibama (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente) divulgou nota nessa terça-feira (01) apontando aumento no número de praias atingidas por óleo cru, no Nordeste. De acordo com informações da Revista Época, a Petrobras  encaminhou um laudo sigiloso ao Ibama que diz que o petróleo que contaminou praias no litoral nordestino pode ser  venezuelano .  

Segundo Thiago Almeida, da Campanha de Clima e Energia do Greenpeace , os maiores responsáveis pelas mudanças climáticas são os combustíveis fósseis, entre eles principalmente a queima do petróleo . "A gente tá num momento de emergência climática, no qual o mundo percebe e começa a agir cada vez mais pra combater o aquecimento global. E estamos procurando ainda mais petróleo, um petróleo que vai ameaçar o meio ambiente, os oceanos, as comunidades costeiras, e a economia", afirmou.

Manchas de óleo nas praias do Nordeste podem ser petróleo da Venezuela

Em nota, o Ibama afirma que "a Investigação aponta que o petróleo que está poluindo todas as praias seja o mesmo, contudo, a sua origem ainda não foi identificada. Em análise feita pela Petrobras, a empresa informou que o óleo encontrado não é produzido pelo Brasil ".

Emergência ambiental: praias do Nordeste são infestadas por “piche”

Confira quantos locais foram atingidos em cada estado, segundo o Ibama :



Confira a fauna afetada:

Fauna afetada por óleo nas praias do Nordeste arrow-options
ibama/divulgação
Fauna afetada por óleo nas praias do Nordeste





01/9 - 1 tartaruga marinha - Praia de Sabiaguaba, Fortaleza (CE) - morta
04/9 - 2 tartarugas marinhas - Praia do Paiva, Cabo de Santo Agostinho (PE) - mortas
07/9 - 1 ave bobo pequeno - Praia de Cumbuco, Caucaia (CE) - morta
11/9 - 1 tartaruga marinha - Praia de Jacumã, Ceará-Mirim (RN) - viva
16/9 - 1 tartaruga marinha - Ilha dos Poldos, Aroises (MA) - morta
22/9 - 1 tartaruga marinha - Praia de Itatinga, Alcântara (RN) - viva
22/9 - 1 tartaruga marinha - Praia da Redinha Nova, Extremoz (RN) - morta
23/9 - 1 tartaruga marinha - Praia da Redinha Nova, Extremoz (RN) - viva
24/9 - 1 tartaruga marinha - Jericoacoara, Jijoca de Jericoacoara (RN) - morta
28/09 - 1 tartaruga marinha - Ilha Grande, Ilha Grande (PI) - morta

Além do risco às  tartarugas  marinhas e aves,  outras espécies marinhas podem estar ameaçadas .  “A tartaruga é um animal que encalha, agora, a gente não tem como mensurar a dimensão desses estragos a invertebrados e corais - que não tem como sair do local - além das aves marinhas e peixes. O óleo é altamente  tóxico  para esses animais”, pondera Sofia Cabral, veterinária do Aquário Natal, no Rio Grande do Norte em entrevista para o portal iG .