Tamanho do texto

Novas medidas da Casa Branca devem dificultar a inclusão de novas espécies na lista de animais que estão ameaçados de extinção; entenda o caso

Águia arrow-options
Foto: Steve Biro
A águia-de-cabeça-branca foi uma das espécies que foi salva da extinção pelas leis que Donald Trump deseja mudar.

O governo de Donald Trump anunciou nessa segunda-feira (12) mudanças nas regras relacionadas a espécies de animais que correm risco de extinção. Segundo o jornal "The New York Times", novas medidas devem dificultar a inclusão de novas espécies na lista de animais ameaçados.

Leia também: Leões brancos raros nascem em santuário francês e são batizados de Simba e Nala 

Segundo o periódico, as mudanças irão dificultar o estabelecimento de uma relação entre as mudanças climáticas e o desaparecimento de certas animais. Com isso, incluir novas espécies na lista de animais ameaçados de extinção deverá se tornar ainda mais difícil. Fatores ecônomicos também passarão a ser levados em conta para a inclusão de espécies

Além disso, as novas regras poderão permitir que empresas de mineração realizem atividades extrativistas em áreas protegidas que abrigam animas em risco de extinção.

Assinada por Richard Nixon em 1973, a lei das espécies em risco de extinção foi essencial para a preservação de algumas espécies. Dentre elas, está a águia-de-cabeça-branca, animal símbolo dos Estados Unidos.