Tamanho do texto

Tamarutaca é conhecida como um dos animais mais perigosos dos mares

Lagosta-boxeadora
Divulgação
Lagosta-boxeadora pode socar com a velocidade de um tiro de rifle

Entre as letais arraias, os ferozes tubarões e as gigantes baleiais, um crustáceo que não passa de 30 cm é tido por pesquisadores como um dos mais perigosos animais marinhos do mundo. Trata-se da tamarutaca, também conhecida como lagosta-boxeadora.

Leia também: Monstro do Lago Ness "pode ser real", revela estudo internacional

Apesar do tamanho não impressionar, a espécie, que vive próximo à costa de mares tropicais e subtropicais e é carnivora, se alimentando de camarões, moluscos, caranguejos e peixes, assusta por conta do poder em suas patas dianteiras. A lagosta-boxeadora consegue "socar" suas presas com a mesma acelaração de um disparo de rifle calibre 22. A força é tamanha que, muitas vezes, despedaça as vítimas.

A força de impacto é de 60 kg/cm3 e a água ao redor das patas do animal chega a ferver, tamanha a energia liberada pelo movimento. Muitas vezes, a tamarutaca consegue matar suas presas mesmo se não acertá-las, por conta de uma onda de choque liberada pelo poderoso golpe.

A espécie é também considerada uma das mais violentas do mundo. Por conta de sua natureza, a lagosta -boxeadora não convive bem com outros animais, mesmo que não façam parte de suas presas. Por conta disso, a maioria dos aquarios proíbe a presença desses crustáceos. Além disso, a força do soco do animal tem a capacidade de destruir a maior parte dos vidros.

Leia também: Intruso invade casa nos EUA, faz faxina completa e vai embora sem levar nada

 Além da força descomunal, as tamarutacas também são conhecidas por sua visão apurada. Elas possuem 16 cones receptores de espectro de cores, enquanto os seres humanos possuem apenas 3 (vermelho, verde e azul). Pesquisadores norte-americanos estão estudando a estrutura celular e ocular desses animais para desenvolver novas tecnologias.