Tamanho do texto

Com derretimento das geleiras, ursos polares invadem arquipélago ártico russo e são flagrados buscando abrigos, comidas e "perseguindo pessoas"

Moradores russos flagram ursos polares invadindo prédios públicos, guarnições militares e creches da região
Reprodução/Youtube
Moradores russos flagram ursos polares invadindo prédios públicos, guarnições militares e creches da região

O arquipélago ártico russo de Novaya Zemlya declarou estado de emergência, nesse sábado (9), após dezenas de ursos polares famintos invadirem residências e prédios públicos da região.  Segundo o jornal The Washington Post , o fenômeno acontece como consequência do aquecimento global, já que o derretimento das geleiras do Polo Norte está forçando os ursos a passarem mais tempo em terra e competirem com os humanos pela comida.

Leia também: Animais de Brumadinho só são sacrificados a tiros "em último caso", diz coronel

O chefe da administração local no nordeste russo, Zhigansha Musin, afirmou que os animais são constantemente encontrados dentro de guarnições militares e em blocos de apartamentos. "Nunca houve uma invasão em massa de ursos polares ", declarou. "Eles literalmente perseguem pessoas".

A situação fez com o arquipélago de cerca de três mil habitantes pedisse ajuda às autoridades russas que estão avaliando a situação e não descartam a realização de abates, a fim de garantir a segurança da população local. A medida é pensada já que as patrulhas com veículos, buzinas e cães, que estão sendo realizadas na área, parecem não surtir efeito contra os animais, que não se sentem intimidados e, por isso, não reagem.

Leia também: Testemunha de Jeová é condenado a seis anos de prisão na Rússia por "extremismo"

Segundo as autoridades regionais de Arkhangelsk - a que o arquipélago está submetido - se todas as outras medidas falharem "atirar nos animais pode ser a única medida forçada possível". A Rússia classifica os ursos polares como uma espécie ameaçada de extinsão e, devido a isso, é proibido atirar neles por lei.

Alexander Minayev, vice-chefe da região, afirmou que os moradores estão sendo atacados e vendo suas casas serem invadidas pelos animais. “As pessoas estão assustadas, estão com medo de sair de casa, os pais têm medo de deixar as crianças irem para as escolas e creches."

Leia também: Quase metade das mortes de animais no litoral de São Paulo tem relação com lixo

Em filmagens feitas pelos moradores é possível observar os animais se alimentando de lixeiras nas ruas, passeando por espaços desabitados, por prédios comerciais e até por playgrounds. No último mês, o alto funcionário do Ministério da Defesa anunciou que centenas de prédios militares em desuso localizados na região haviam sido demolidos, depois que ursos polares se instalarem em seu interior.