Tamanho do texto

De acordo com relatório divulgado na Cúpula do Clima, cumprir com metas do Acordo de Paris pode trazer benefícios imediatos à saúde mundial

Apesar de resultados positivos, poluição ainda é preocupação de países desenvolvidos
Reprodução/ Agência Brasil
Apesar de resultados positivos, poluição ainda é preocupação de países desenvolvidos

Cumprir as metas propostas pelo Acordo de Paris em relação à redução de emissões de poluentes pode ter resultados, não só ambientais, mas também na saúde das pessoas. De acordo com relatório da Organização Mundial da Saúde (OMS), reduzir a poluição do ar é capaz de salvar cerca de 1 milhão de vidas por ano no mundo todo. O comunicado foi dado nesta quarta-feira (5) na Cúpula do Clima realizada na cidade de Katowice, na Polônia.

Leia também: G20 pede uma reforma da OMC e reforça que o Acordo de Paris é “irreversível”

A principal preocupação em torno do avanço da mudança climática é de que todos os progressos na saúde mundial alcançados até agora sejam perdidos. De acordo com dados da OMS, cerca de 7 milhões de mortes são provocadas pela poluição do ar , já que cerca de nove em cada dez pessoas em todo o mundo respiram ar poluído.

"É evidente que a mudança climática já está tendo um impacto severo na vida e na saúde das pessoas, e ameaça os pilares de uma boa saúde: ar limpo, água potável, provisão de alimentos nutritivos e um teto seguro”, comenta o diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus.

Além dos efeitos na melhora da saúde, a organização também declarou as consequências positivas que a diminuição da emissão de poluentes . A promoção de ações para alcançar os objetivos propostos pelo Acordo de Paris custaria cerca de 1% do PIB mundial, número considerado baixo se for comparado ao custo para conter os impactos da poluição, estimados em um valor de mais de 4% do PIB mundial.

Leia também: Fungos podem ajudar a deteriorar resíduos plásticos em semanas, mostra estudo

A principal solução para a mudança desse cenário inclui a adoção de fontes de energia limpa, que não só melhorariam as condições do ar, mas também trariam benefícios imediatos para a saúde em todo o planeta. Uma dica trazida pela organização é a promoção de meios de transporte que exijam atividade física, que tanto podem trazer benefícios para o usuário, quanto para o meio ambiente.

De acordo com a Cúpula do Clima esse não é o único tópico que merece atenção. Em outro relatório, a OMS divulgou que as emissões de gases do efeito estufa diminuíram 13% entre 1990 e 2016, mesmo com o expressivo aumento populacional e do PIB (Produto Interno Bruto).

Leia também: Fungos podem ajudar a deteriorar resíduos plásticos em semanas, mostra estudo

A notícia parece ser boa, mas a grande questão nesse caso é que, apesar dos bons resultados dos últimos anos, os índices atuais continuam ruins. De acordo com o relatório, muitos dos objetivos em torno da diminuição da poluição do ar não conseguem ser atingidos pelos países desenvolvidos e, por isso, é exigida uma ambição política ainda maior por parte dos governantes, caso contrário, os efeitos do aquecimento global serão sentidos antes do previsto.

*Com informações da Agência Brasil

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.