Onça-parda P-56 foi morta nas montanhas de Santa Mônica
Serviço de Parques Nacionais da Califórnia
Onça-parda P-56 foi morta nas montanhas de Santa Mônica


Uma onça-parda , batizada com o nome de “P-56”, foi a primeira da espécie a ser morta na Califórnia sob o respaldo de uma lei do Estado que permite o abate de predadores. O animal, conhecido como leão da montanha nos EUA, foi abatido pelo dono de uma propriedade na região das montanhas de Santa Mônica, conforme o informado por reportagem da CNN.

Apesar de a onça-parda ser classificada como “mamífero especialmente protegido”, o ato do proprietário é considerado legal pela legislação da Califórnia, em razão das circunstâncias. Em dezembro de 2017, foi elaborada uma política que permite a morte da espécie diante da aplicação da regra de “três ataques”.

Leia também: População de botos-cinza na Baía de Guanabara é a menor registrada até hoje

Segundo o determinado pelo Departamento de Peixes e Vida Selvagem, os proprietários podem matar o felino caso ele mate gado ou animais de estimação. Antes, no entanto, é preciso comprovar que foram feitas tentativas de combater os ataques com “meios não letais”. Já a caça de onças-pardas está proibida na Califórnia desde 1990.

Controle

O animal abatido era um dos poucos machos adulto rastreado pelo Serviço Nacional de Parques e tinhe cerca de 5 anos. Cientistas do serviço estudam a pequena população da espécie há 18 anos, e estão em alerta com a possibilidade de mais mortes.

“A perda de um macho reprodutor é uma preocupação para o estudo, especialmente quando a população já é muito pequena. Sempre  existem animais não rastreados por aí. Atualmente, há apenas um macho adulto sendo rastreado nas montanhas de Santa Mônica, o P-63”, afirmou o biólogo Jeff Sikich em entrevista à CNN.

    Veja Também

      Mostrar mais