Tamanho do texto

Astrônomos captam muita radiação vinda do núcleo da ESO 021-G004, originária da atração de material para o buraco negro no centro da galáxia

Planeta

Buraco Negro arrow-options
ESA/Hubble & Nasa, D. Rosario et al.
A ESO 021-G004: buraco negro supermassivo com muito trabalho em seu centro

A massa celestial de gás, poeira e estrelas apresentada acima é uma galáxia espiral moderadamente luminosa chamada ESO 021-G004, localizada a pouco menos de 130 milhões de anos-luz de distância. Os dados que compõem esta imagem foram coletados pela Wide Field Camera 3 a bordo do Telescópio Espacial Hubble , da Nasa e da Agência Espacial Europeia (ESA).

Leia também: Homem é preso após atirar seis vezes na madrasta durante discussão; assista

A ESO 021-G004 tem algo conhecido como núcleo galáctico ativo. Os astrônomos medem muita radiação em todos os comprimentos de onda vindos do centro da galáxia.

    Essa radiação é gerada pelo material que vai para dentro da região central da ESO 021-G004 e encontra o gigante que está à espreita lá – um buraco negro supermassivo. Quando o material vai em direção a esse buraco negro, ele é arrastado para a órbita como parte de um disco de acreção (acreção é a acumulação de matéria na superfície de um astro, através da ação da gravidade); torna-se superaquecido à medida que gira, emitindo radiação característica de alta energia até ser devorado.

    Leia também: Mulher é assassinada cinco dias após morte da filha de 1 ano