Tamanho do texto

Segundo bióloga, o conceito de mutação é usado de maneira equivocada e é erroneamente associado apenas à situações prejudiciais para os animais

Cachorro com rabo na testa arrow-options
Reprodução
Bióloga explicou o que fez com que Narwhal nascesse com o rabo na testa.

Não é incomum surgirem relatos de animais que nascem com duas cabeças ou com uma coloração incomum para suas espécies. O caso mais recente foi o de Narwhal, filhote de cachorro que nasceu com o rabo na testa . Devido à grande repercussão do caso, muitas pessoas tentaram entender os motivos pelos quais o animal nasceu com tal condição e muitos acreditam que uma mutação genética teria sido responsável pelo aparecimento do rabo do cachorro no local inusitado.

Leia também: Conheça a 'Montanha Mística', região com intensa atividade de formação de estrelas

Entretanto, segundo a bióloga especialista em biotecnologia Angela Aparecida Moreira , diz que não ocorreu uma mutação, e sim um problema relacionado à embriologia. “No caso [de Narwhal, eu não creio que possamos chamar aquilo de mutação. É mais um evento associado à questão da embriologia do que do gene propriamente dito”, diz Angela.

A bióloga diz ainda que as pessoas costumam usar o conceito de mutação de uma maneira equivocada e incorreta. “É um conceito que as pessoas acabam usando de forma errada. A mutação é uma coisa muito global, ela é toda e qualquer alteração no DNA”, afirma a bióloga, que também explica que, ao contrário do pensamento popular, as mutações não são exclusivamente prejudiciais e que podem gerar benefícios para as espécies.

“Você pode ter uma mutação que seja tanto prejudicial quanto benéfica. Um exemplo de mutação prejudicial é o câncer. E um exemplo de mutação benéfica é aquela que gera variabilidade intraespecífica”, diz Angela, que cita os coelhos para explicar sua fala.

“O coelho, por exemplo, tem vários tons de coloração de pelos. Você pega um coelho albino e o coloca pra viver em um polo: ele está bem alocado. Agora se você colocar ele na floresta, ele estará muito suscetível à ação de predadores”.

Leia também: Nasa localiza restos de módulo indiano destruído ao tentar pousar na Lua

Poluição afeta genes e pode atingir o ser humano

Angela também diz que uma das principais causas de mutações nos genes dos animais são os agentes mutagênicos  como a poluição. Se referindo aos recentes derramamentos de óleo no Nordeste, a bióloga diz que os fluídos podem alterar a composição genética e, em último caso, pode afetar a saúde dos seres humanos.

“O óleo derramado pode alterar o DNA dos peixes e se incorporar os tecidos dos peixes. Às vezes o poluente que está incorporado no tecido do peixe pode não causar mutação no peixe, mas causará no último degrau da cadeia ( homem )”.

Um caso que exemplifica a fala de Angela é a presença de mercúrio na carne de determinadas espécies de peixes. Apesar de não fazer mal para os animais, um ser humano pode ter problemas de saúde se ingerir a substância em grandes quantidades.

Leia também: Árvore de 535 anos é derrubada para virar cerca em Santa Catarina

Confira alguns casos de mutações em animais

Esquilo Colorido arrow-options
Reprodução/ Kaushik Vijayan.
Esquilo Colorido


Tartaruga Albina arrow-options
Reprodução/albinoturtles.com
Tartaruga albina


Girafa Cinza arrow-options
Reprodução
Girafa Cinza



Zebra com bolinhas arrow-options
Reprodução
Zebra com bolinhas