Tamanho do texto

Descoberto em 1922, o caixão de Tutancâmon sofreu diversos danos ao longo dos anos. Após a restauração, objeto será exibido ao lado de tesouros do faraó no Grande Museu do Cairo

Planeta

Tumba de Tutancâmon arrow-options
El Pais/Reprodução
O caixão de Tutancãmon, o maior faraó do Egito, será restaurado pela primeira vez.

Pela primeira vez, desde sua descoberta, em 1922, o caixão de Tutancâmon será restaurado. A relíquia foi transportada de sua tumba, que fica no Vale dos Reis, em Luxor, para o Grande Museu Egípcio, em Gizé, no último domingo (14), segundo o Ministério das Antiguidades do Egito.

Leia também: Ilhas Marshall são de dez a mil vezes mais radioativas do que Chernobyl

Depois da restauração, o caixão dourado do mais conhecido faraó egípcio será exibido no museu. De acordo com Al-Tayeb Abbas, diretor geral de antiguidades do museu, disse que o caixão será exibido junto com outros tesouros nas galerias dedicadas a Tutancâmon no Grande Museu do Cairo.

Segundo Eissa Zidan, chefe do departamento de restauração e transporte de antiguidades do museu, o trabalho levará cerca de oito meses. “O caixão sofreu muitos danos, incluindo rachaduras nas camadas douradas de gesso e uma fragilidade geral em todas as camadas”, disse.

Antes de o caixão do faraó chegar ao museu, um relatório foi feito detalhando as condições do objeto e todos os danos.