Tamanho do texto

Nomeada em homenagem a uma deusa chinesa, a sonda Chang'e-4 vai tentar viabilizar o desenvolvimento de insetos e plantas na superfície lunar

O governo chinês não informou detalhes sobre a missão ao lado oculto da lua, mas, de acordo com especialistas, é esperado que o pouso ocorra no mês de janeiro, na bacia de Aitken, na Lua
Reprodução/CGTN
O governo chinês não informou detalhes sobre a missão ao lado oculto da lua, mas, de acordo com especialistas, é esperado que o pouso ocorra no mês de janeiro, na bacia de Aitken, na Lua

Na expectativa de conseguir explorar o lado oculto da lua pela primeira vez na história, a China lançou ao satélite terrestre, nas primeiras horas deste sábado (8), a sonda Chang'e-4. Segundo a agência de notícias chinesa Xinhua, o foguete Long March-3B, que transporta a sonda, decolou do Centro de Lançamento de Satélites de Xichang, na província de Sichuan, às 2h23 (ou, no horário de Brasília, às 16h23 do dia 7).

Leia também: Trump aceita suspender por três meses aumento de tarifas a produtos da China

Segundo a Administração Espacial Nacional da China (CNSA, na sigla em inglês), a missão ao lado oculto da lua realizará tarefas de observação astronômica de rádio de baixa frequência, análise de terreno e relevo, detecção de composição mineral e estrutura da superfície lunar e medição da radiação de nêutrons e átomos neutros para estudar o ambiente.

Além de ovos de bicho-da-seda, a Chang'e-4 transporta consigo um pequeno recipiente com sementes de batata e de arabidopsis, uma planta herbácea pertencente à mesma família da mostarda. A ideia, de acordo com a agência Xinhua, é fazer com que as espécies cresçam e floresçam na Lua. Todo o desenvolvimento deste material biológico será gravado em vídeo e controlado a partir da Terra .

Esta é a segunda missão espacial chinesa a colocar uma sonda na superfície da Lua. A primeira foi há cinco anos, em 2013, com a sonda Yutu. Esta foi lançado juntamente com a Chang'e-3, que continua a atravessar a face oculta da Lua.

Leia também: Quarto fim de semana de protestos na França tem 700 detidos

O governo chinês não informou detalhes sobre a missão, mas, de acordo com especialistas, é esperado que o pouso ocorra no mês de janeiro, na bacia de Aitken, na Lua . Em seguida, o módulo levará um jipe robótico até a cratera Van Kármán, onde os estudos geológicos serão feitos.

A CGTN, um canal de notícias chinês do grupo estatal China Global Television Network, publicou um vídeo do momento do lançamento da sonda Chang'e-4 em seu canal no YouTube:




Leia também: Confusão em show deixa seis mortos e mais de 100 feridos na Itália

O programa Chang E, nomeado em homenagem a uma deusa que vive na Lua, segundo creem os chineses, começou com o lançamento de uma primeira sonda orbital em 2007. O objetivo do programa não se resume a explorar o lado oculto da lua : a longo prazo, a ideia é viabilizar uma missão tripulada à Lua, embora a data para isso ainda não tenha sido definida. Alguns especialistas estimam que a missão deve acontecer por volta do ano de 2036.


*Com informações das agências EFE e ANSA

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.