Tamanho do texto

Cientistas da Universidade da Flórida Central questionam um dos três parâmetros para definir se um corpo celeste pode ou não ser um planeta

Plutão, hoje em dia considerado um planeta-anão, tem tido sua classificação questionada por cientistas americanos
NASA/JHUAPL/SwRI
Plutão, hoje em dia considerado um planeta-anão, tem tido sua classificação questionada por cientistas americanos

Uma nova pesquisa, publicada na revista científica Icarus , defende que Plutão não deveria ter sido “rebaixado” a planeta-anão há 12 anos. De acordo com informações da CNN , o grupo de pesquisa de Philip Metzger, da Universidade da Flórida Central, discorda dos atuais protocolos de classificação de planetas e propôs uma “volta ao passado”.

Leia também: Plutão pode ter oceano congelado em forma de coração, revela Nasa

Em 2006, a União Astronômica Internacional (IAU, na sigla em inglês), responsável por nomear um planeta, atualizou suas regras para o que seria ou não classificado como um planeta. Para eles, é preciso ser um corpo celeste que orbita o Sol, em formato de esfera e atravessa uma trajetória “limpa” sem outros objetos, parte que desclassificou Plutão .

Para a IAU, o corpo celeste é pequeno demais para isso, e assim, ele deixou de ser um planeta. Contudo, nos últimos dias Metzer e sua equipe voltaram com o polêmico debate, dizendo que “esta definição diria que um planeta é supostamente definido por um conceito que ninguém usa em suas pesquisas”, como explicou.

E para chegar a essa conclusão, eles analisaram pesquisas de mais de 200 anos e encontraram apenas um estudo, do começo do século 19, que utilizou a classificação de “órbita limpa”. Além disso, o americano também pontuou que os padrões para definir os planetas mudaram em 1950, quando o astrônomo Gerard Kuiper afirmou que o essencial é como o corpo celeste será formado.

Metzger ainda disse que ser grande o suficiente para sua gravidade permitir um formato esférico também deveria ser um dos itens classificatórios. “E isso não é só uma definição arbitrária. Esse é um marco importante na evolução de um corpo planetário, porque, aparentemente, quando isso acontece, a atividade geológica também é iniciada”.

Leia também: Cientistas da Nasa identificam possível oceano subterrâneo em Plutão

Mais debates sobre Plutão

A mudança de Plutão de planeta para planeta-anão gera muitas polêmicas na comunidade científica desde 2006
Wikimedia Commons
A mudança de Plutão de planeta para planeta-anão gera muitas polêmicas na comunidade científica desde 2006

Este grupo, porém, não foi o primeiro a questionar a decisão. Em 2014, o Centro de Astrofísica Harvard-Smithsonian sugeriu o debate sobre o que é um planeta. Alguns especialistas discutiram sobre as definições e, como conclusão, votaram para classificar o então  planeta-anão como um planeta.

Leia também: As misteriosas montanhas flutuantes de gelo de Plutão que intrigam cientistas

Além disso, a missão Novos Horizontes da Nasa, de 2015, descobriu dunas de metano sólido, montanhas cobertas por neve de metano e, possivelmente, um oceano subterrâneo em  Plutão .