Tamanho do texto

Instrumento Moon Mineralogy Mapper (M3) fotografou a presença de água congelada nos polos e também em 3,5% das áreas sombreadas do satélite

Apesar de estudiosos já desconfiarem da presença de gelo na Lua, esta foi a primeira vez que a teoria foi confirmada
Reprodução/Nasa
Apesar de estudiosos já desconfiarem da presença de gelo na Lua, esta foi a primeira vez que a teoria foi confirmada

A Agência Espacial Norte Americana (Nasa) divulgou nessa segunda-feira (20) que foram encontrados sinais da existência de gelo nas áreas polares da Lua. A descoberta foi publicada na revista científica Pnas após décadas de pesquisas.

Leia também: Humanos explodem no espaço? Há duas luas em agosto? Conheça 8 mitos astronômicos

De acordo com a ABC News , alguns cientistas teorizaram na década de 1960 sobre a existência de gelo em regiões sombreadas da Lua . Por mais que nas últimas décadas tenham sido encontradas áreas ricas de hidrogênio no satélite, elemento essencial para a composição da água, a hipótese ainda não tinha confirmação. O que mudou com o novo anúncio da Nasa.

As superfícies de água congelada foram encontradas através de imagens feitas pelo Moon Mineralogy Mapper (M3), instrumento localizado na nave não tripulada Chandrayaan-1. As fotos revelaram que o lugar com a maior concentração de gelo está no polo norte, em comparação com o polo sul.

A pesquisa também detalhou a presença do elemento em 3,5% das regiões sombreadas do satélite natural, como já previam os estudiosos do século 20, onde as temperaturas podem chegar a níveis extremos com até 160 graus abaixo de zero. 

Ainda não se sabe como o gelo chegou até o satélite, mas os astrônomos trabalham com duas hipóteses. A primeira sugere que tudo aconteceu após o impacto de cometas e meteoritos, enquanto a segunda pensa na possibilidade da água ter sido lentamente “migrada” da rarefeita atmosfera lunar.

Por mais que a descoberta seja animadora, os responsáveis pelo estudo pediram cautela. “As evidências diretas de água congelada lunar permanecem vagas”, escreveram.

Presença de água no subterrâneo da Lua

Antes do mais recente estudo da Nasa, pesquisadores do Japão encontraram evidências animadoras sobre água na Lua
Nasa
Antes do mais recente estudo da Nasa, pesquisadores do Japão encontraram evidências animadoras sobre água na Lua


Outra descoberta sobre o nosso satélite aconteceu recentemente. Cientistas da Universidade Tohoku, no Japão, estavam analisando um meteorito lunar quando perceberam algo surpreendente: há evidências de que já existiu água na Lua e de que ela ainda pode estar presente no subsolo do corpo celeste. De acordo com o portal Phys , a pesquisa publicada no site Science Advances pode ser um passo na busca pela substância no satélite natural .

Liderada por Masahiro Kayama, a equipe de pesquisadores encontrou um mineral muito raro no meteorito lunar: o moganite, que só pode ser formado na presença de água. A possibilidade animou os cientistas e aqueles que acreditam que o satélite pode se tornar a “segunda casa” dos humanos, porém, foram precisos mais alguns testes para eliminar possíveis dúvidas.

A rocha, batizada de NWA 272, caiu na região norte da África há aproximadamente 17 mil anos e, para comprovar a sua origem – e também que o moganite não foi formado após a chegada do material à superfície terrestre –, os cientistas realizaram inúmeras análises que comprovaram as suspeitas iniciais.

Leia também: Lua de Saturno possui elementos para o desenvolvimento da vida, diz novo estudo

“Isso indica a possibilidade de presença de recursos abundantes de água sob os terrenos Procellarum KREEP e [da cratera] da bacia do Polo Sul-Aitken”, explicou o resumo do artigo científico que revelou a descoberta na Lua .

*Com informações da Agência Ansa