Tamanho do texto

Reconstrução realizada por pesquisadores da Universidade de Nova Gales mostrou que Niata tinha feição semelhante à de um cachorro buldogue; veja

Estudos sobre vaca apelidada de Niata por Charles Darwin em 1840 foram retomados, trazendo à tona feição do animal
Reprodução/Jorje González/ Universidade de Zurique
Estudos sobre vaca apelidada de Niata por Charles Darwin em 1840 foram retomados, trazendo à tona feição do animal

Novas técnicas genéticas e anatômicas revelaram a face curiosa da vaca observada por Charles Darwin há 180 anos na Argentina. A feição do bovino, apelidado de "Niata", foi possível através da reconstrução realizada por pesquisadores da Universidade de Nova Gales do Sul, na Austrália, revelando-se semelhante à de um cachorro da raça buldogue.

Leia também: Gorila usa linguagem de sinais para se comunicar em zoológico; assista ao vídeo

"Poucas pessoas sabem que há centenas de anos uma vaca com um rosto semelhante ao de um cachorro existiu. Ela se chamava Niata e ficou famosa após Charles Darwin se encantar por sua aparência incomum e começar a estudá-la”, explica uma das pesquisadoras envolvidas no experimento, Laura Wilson, ao Daily Mail .

Os estudiosos afirmam que, mesmo com características físicas que aparentam ser o cruzamento entre as duas raças, Niata não sofreu com problemas alimentares e respiratórios como os cães de hoje. A equipe ainda ressaltou que, a fim de descobrir os detalhes estéticos da criatura, tiveram de analisar o esqueleto, levantando informações sobre sua anatomia e evolução.

Visita de Darwin aos argentinos e descoberta de vaca com cara de buldogue

O animal foi documentado por Charles Darwin durante uma visita aos pampas argentinos e áreas ao redor de Buenos Aires por volta de 1840. O renomado cientista ficou perplexo com a aparência do bovino e decidiu estudar como isso possivelmente afetou seu funcionamento e relacionamento com outras vacas.

Leia também: Turista tenta acariciar leão e quase perde o braço em safári na África do Sul

Esqueleto de Niata foi estudado para pesquisa
Reprodução/Universidade de Zurique
Esqueleto de Niata foi estudado para pesquisa

Agora, utilizando técnicas que ainda não haviam sido desenvolvidas na época de Darwin, tais como modelagem computacional, cientistas retomaram os experimentos com Niata, desvendando alguns dos mistérios que cercam sua história.

“Em nosso estudo, nos propusemos a descobrir mais sobre algumas das características anatômicas e genéticas. Até o momento, nossa principal surpresa foi detectar que Niata pertencia a uma raça taurina, única entre os bovinos”, afirmou a coautora do estudo e cientista da Universidade de Zurique, Sánchez-Villagra.

As pesquisadoras também informaram que muitos dados acerca da domesticação dos animais trouxeram à tona questões expostas na seleção natural, discutida por Darwin, além de ajudar cientistas a pensarem em métodos alternativos para proteger espécies raras ameaçadas de extinção.

Leia também: Mamíferos adquirem hábitos noturnos para evitar contato com humanos, diz estudo

“Não sabemos o motivo da extinção da espécie de Niata,  porém descobrimos detalhes de sua existência. Esse grupo de bovinos, apesar da aparência exótica, era como qualquer outro. Se alimentava e vivia da mesma forma que os demais. Acreditamos que a extinção da vaca Niata e seu grupo tenha ocorrido em paralelo à intensificação da criação de gado e à busca da raça ideal”, concluiu Villagra.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.