Tamanho do texto

Cientistas da Agência Espacial Americana querem provar possibilidade de voo em atmosfera rarefeita, em busca de novas informações sobre planeta

Pequeno helicóptero da Nasa em Marte será pioneiro em voos em atmosferas diferentes da encontrada na Terra
Divulgação/Agência Espacial Americana (Nasa)
Pequeno helicóptero da Nasa em Marte será pioneiro em voos em atmosferas diferentes da encontrada na Terra

Há muito tempo a Agência Espacial Americana ( Nasa ) explora Marte pelo solo, com veículos que rodam pela superfície, enviando novos dados sobre o planeta. Mas, agora, a Nasa tenta provar que pode sustentar uma aeronave – em baixa altitude – na atmosfera marciana. Por isso, a agência anunciou nessa sexta-feira (12) que enviará um pequeno helicóptero para lá.  

Leia também: Nasa confirma que está estudando possibilidade de vida extraterrestre em Marte

O chamado “Mars Helicopter”, ou “Helicóptero de Marte”, será enviado ao planeta vermelho daqui a dois anos, a partir da base de lançamentos da Flórida, nos Estados Unidos. A Nasa espera que uma aeronave como essa possa trazer outros pontos de vista – ainda desconhecidos – para que os cientistas observem e estudem Marte .

A agência americana ainda destaca que o helicóptero marcará a primeira tentativa da humanidade de pilotar uma aeronave mais pesada que o ar – em uma atmosfera muiro diferente da encontrada aqui na Terra. Até lá, serão realizados cinco testes de voos para que a máquina, então, seja enviada ao planeta em fevereiro de 2021, na missão previamente anunciada, a “Mars 2020”.

“Depois dos irmãos Wright provarem, há 117 anos, que voos controlados, sustentados e controlados são possíveis aqui na Terra, outro grupo de pioneiros americanos poderá demonstrar que o mesmo pode ser feito em outro mundo”, afirmou Thomas Zurbuchen, administrador associado da missão científica da Nasa em Washington.

“Pequenóptero” da Nasa

O pequeno helicóptero – cuja estrutura principal terá o tamanho de uma bola de softball – será anexado ao veículo. Depois que o veículo pousar em solo marciano, colocará a aeronave no chão e se afastará. Assim que as células solares do helicóptero carregarem suas baterias de íons de lítio, os controladores da Nasa, aqui da Terra, irão preparar a nave para seus complicados voos de teste.

Leia também: Universo se expande 9% mais rápido e cientistas não sabem explicar o motivo

Para subir na atmosfera rarefeita de Marte, as duas pás da hélice do helicóptero deverão realizar em torno de três mil rotações por minuto, 10 vezes mais rápido que as pás de um helicóptero na Terra.

“O recorde de altitude de um helicóptero voando aqui na Terra é de cerca de 40.000 pés [12 mil metros]. A atmosfera de Marte é apenas 1% da Terra, isso significa que, quando nosso helicóptero estiver na superfície marciana, já estaria no equivalente da Terra a 100.000 pés [30 mil metros] de altitude”, explicou Mimi Aung, gerente do projeto Mars Helicopter no Laboratório de Propulsão a Jato da Nasa, em um comunicado à imprensa.

“Desse modo, para fazê-lo voar nessa baixa densidade atmosférica, tivemos que examinar tudo, tornando-o o mais leve possível, mas tão forte e tão poderoso quanto possível", apontou.

Novos pontos de vista de Marte

No primeiro voo de teste, a agência pretende fazer o helicóptero subir uma altura de 10 pés [três metros] e pairar por 30 segundos. Assim, ao longo dos próximos voos, conseguir aumentar o tempo e as distâncias percorridas.

Leia também: Poeira da Lua pode causar mutações no DNA humano e potencializar câncer; entenda

Se os testes funcionarem, a Nasa estará mais perto de explorar o Planeta Vermelho de uma maneira diferente. “A capacidade de ver claramente o que está além da próxima colina é crucial para futuros exploradores”, afirma Zurbuchen. “Nós já temos ótimas visões de Marte tanto da superfície quanto da órbita. Com a dimensão adicional da visão panorâmica de um 'telescópio', nem conseguimos imaginar o que futuras missões poderão alcançar”, finaliza.  

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.