Tamanho do texto

Segunda Superlua do ano teve combinação astronômica rara que pode ser avistada na América do Norte; no Brasil, Superlua "comum" foi vista nos céus

Superlua foi vista na cidade de São Paulo
Reprodução
Superlua foi vista na cidade de São Paulo

A chamada  Superlua  pode ser vista no mundo inteiro na noite desta quarta-feira (31). Essa é segunda vez que o fenômeno  ocorre em 2018. A primeira aconteceu logo na noite do dia 1º de janeiro. O fenômeno também aconteceu no dia 3 de dezembro de 2017. A sequência vem sendo chamado por astrônomos de "trilogia de Superluas".

O fenômeno da  Superlua  acontece quando o período de Lua cheia coincide com a aproximação máxima entre a Terra e o satélite, chamada da perigeu. Na noite desta quarta-feira, o espaço entre os astros é de aproximadamente 359 mil km. De acordo com informações da Nasa, a distância média costuma ser de 384 mil km. 

Leia também: Fenômeno da 'Superlua' deixa satélite maior e mais brilhante na noite do dia 1º

Estatisticamente falando, o nosso satélite natural fica 15% mais brilhante e 30% maior do que as luas cheias regulares, segundo informações do canal de televisão "BBC". Esse aumento é bastate perceptível a olho nú.

A noite desta quarta também foi marcada por um fenômeno ainda mais raro: a "Superlua de sangue azul", combinação de três fenômenos astronômicos diferentes que foi registrada pela última vez há 150 anos. A combinção consiste na Superlua, na Lua de Sague e na Lua Azul.

Leia também: "Superlua de Sangue Azul" acontece hoje; entenda raridade dos eventos lunares

A “ Lua de Sangue ” é o nome dado a um acontecimento já conhecido por muitos de nós: o eclipse lunar total. Isso porque, quando a luz passa pela atmosfera da Terra durante o fenômeno, a luz vermelha proveniente do sol é refletida, resultando em um tom avermelhado em nosso satélite natural. Esse efeito, no entanto, não pode ser avistado no Brasil e foi melhor visto na América do Norte, Ásia, Austrália, Nova Zelândia e no leste da Rússia.

Por outro lado, o acontecimento da “ Lua Azul ”  não é um fenômeno astronômico. Na realidade, é apenas o nome que damos para a segunda lua cheia em um mesmo mês, e que só acontece a cada dois anos e meio. A Lua Azul não produz qualquer efeito visual.

Veja fotos da Superlua no Brasil