Tamanho do texto

Nova pesquisa encontrou traços de salmonela nos dentes de cadáveres do Império Asteca e aponta que doença veio da Europa por meio dos espanhóis

Civilização Asteca, que vivia na região central do México, pode ter sido dizimada por salmonela trazida pelos espanhóis
Wikimedia Commons
Civilização Asteca, que vivia na região central do México, pode ter sido dizimada por salmonela trazida pelos espanhóis

Pesquisadores da Alemanha encontraram provas de que a queda do Império Asteca pode ter sido causada por um surto de salmonela. Ao estudar a arcada dentária de cadáveres astecas que datam 500 anos de idade, cientistas encontraram traços de DNA da doença.

LEIA MAIS: Britânicos prometem voos comerciais ao espaço já a partir de 2020

O tipo de salmonela encontrada causa febre tifoide, que tem como sintomas febre alta, manchas no corpo e, sem tratamento, pode levar a hemorragias, úlceras, insuficiência renal e choque séptico.

A doença, que é transmitida através de comida, água e fezes contaminada, mata 10% das pessoas contaminadas se não for tratada. O surto epidêmico que resultou na queda dos astecas ficou conhecido como “cocolitzi”, que significa peste em náuatle, língua usada no império.

Para entender o que causou a peste mortal, pesquisadores extraíram os dentes de 29 cadáveres enterrados em Oaxaca, ao sul do México. Eles sequenciaram o DNA encontrado nos dentes e descobriram traços da bactéria ancestral.

LEIA MAIS: Cientistas encontram novo continente no Oceano Pacífico

Os estudiosos descobriram que o material genético presente nos dentes dos astecas batia com o DNA da salmonela depois de cruzar as informações em um banco de dados de bactérias modernas. Eles acreditam que a epidemia surgiu na Europa e chegou ao México por meio dos soldados espanhóis que colonizaram a América do Sul.

“Nosso estudo representa um primeiro passo em direção ao entendimento da troca de doenças no México”, afirmaram cientistas do Instituto Max Planck de Ciências e História Humana ao jornal britânico Daily Mail . A pesquisa ainda não foi publicada em veículos da comunidade científica.

Civilização Asteca

Apesar de manter capital em Tenochtitlan, onde hoje fica a Cidade do México, o império Asteca se estendia por toda a região central do território mexicano atual. A civilização se manteve estabelecida entre 1325 e 1521, quando houve a queda do império.

LEIA MAIS: "Parque dos Dinossauros" da vida real: cientistas de Harvard recriam mamute

A obra mais famosa deixada como evidência da existência desse povo é o Templo Mayor, localizado no Centro Histórico da Cidade do México, a peça arquitetônica foi considerada Patrimônio Mundial da Unesco em 1987.

O fim dos astecas chegou com a dominação espanhola. Por mais que grande parte da civilização tenha morrido em confrontos, a nova descoberta prova que os espanhóis acabaram com o império não somente através de luta, mas também pela disseminação da salmonela.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.