Sarah foi morta a tiros
Reprodução - 26.07.2022
Sarah foi morta a tiros

A cabeleireira Sarah Jersey Nazareth Pereira, de 23 anos, foi morta a tiros dentro de casa ao lado dos dois filhos, um de dois meses e o outro de 4 anos, na madrugada desta terça-feira (26), na Rua Tadeu Kosciusko, esquina com a Rua Riachuelo, no Centro do Rio. De acordo com as primeiras informações, o principal suspeito do crime o é ex-marido da vítima, Queven da Silva e Silva, de 26 anos, morador do Morro dos Prazeres, em Santa Teresa. Ele possui 47 anotações criminais, incluindo roubo, tráfico de drogas e homicídio, e estava foragido da Justiça do Rio desde 2016. Contra, ele há pelo menos oito mandados de prisão em aberto. Após o crime de hoje, o assassino fugiu.

No quarto onde estava Sarah, peritos da Polícia Civil encontraram 16 cápsulas de pistola. Há aproximadamente dois meses o criminoso já teria tentado matar a ex-companheira com uma facada no pescoço.

Queven é o principal suspeito de matar a ex-companheira
Reprodução - 26.07.2022
Queven é o principal suspeito de matar a ex-companheira

Na ocasião, Sarah ficou internada por alguns dias no Hospital Municipal Souza Aguiar. De acordo com policiais da Delegacia de Homicídios, que estão no local, o rapaz teria chegado à casa da vítima por volta de 4h20 e feito três disparos para cima. Ao entrar na casa, Queven atirou diversas vezes contra a mulher, que morreu na hora.

Uma pessoa que mora perto da casa onde a cabeleireira foi assassinada diz que escutou os disparos e ainda teria visto a irmã da vítima correndo pela região para não ser morta. A testemunha disse também que a irmã ainda gritou para um rapaz em situação de rua fugir para não ser alvejado. O morador conta os momentos de terror:

"Era pouco depois das 4h30 quando os tiros começaram. Foram mais de 16 tiros. Minha gata que foi para a janela e me chamou a atenção. Os tiros, que estavam abafados, davam a impressão que vinham da Lapa. Como tivemos essa confusão há pouco tempo, eu achava que teria sido perto dos Arcos e não foi. Eu fui na janela e vi uma moto parada", conta o morador, que completa:

"Em seguida vi uma mulher descendo e correndo. Um homem então saiu correndo e gritando para o cara da moto: “vamos, vamos atrás dela”. Aí, eles foram atrás dela (da irmã). Ele já tinha matado a mulher e foi atrás da irmã. Foi muito tiro. Uma coisa assustadora. Quando essa mulher corria, ela até gritou para o morador de rua sair correndo. Aí, ela saiu correndo e entrou na Rua do Rezende para fugir deles. Foi assustador. Muito assustador", conclui.

Pouco depois das 9h35 um carro de remoção da Defesa Civil chegou ao local para retirar o corpo de Sarah. Às 9h41, o veículo saiu em direção ao Instituto Médico-Legal (IML) do Centro. A mãe da jovem, desesperada, acompanhou a retirada do corpo. Ela não falou com os jornalistas.

Entre no  canal do Último Segundo no Telegram e veja as principais notícias do dia no Brasil e no Mundo. Siga também o  perfil geral do Portal iG.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários