Anísio e Neguinho da Beija-Flor em 2017
Reprodução YouTube
Anísio e Neguinho da Beija-Flor em 2017

Bicheiros beneficiados por uma decisão judicial às vésperas do  carnaval desfilaram à frente de suas escolas no primeiro dia de desfiles. Aniz Abrahão David, o Anísio, e Marcelo Petrus Calil, presidentes de honra da Beija Flor e da Viradouro, respectivamente, comemoraram a volta do carnaval. Em recente decisão, o Superior Tribunal de Justiça (STJ) anulou uma sentença da Operação Furacão, que os condenou à prisão.

"A pandemia foi um período muito difícil para a escola. Mas estou muito feliz de voltar. Que saudade do carnaval!", disse Anísio enquanto aguardava o início do desfile da Beija-Flor sentado numa cadeira, com uma bengala à tiracolo, na armação da escola. (Veja fotos do desfile da Beija-Flor).

Já conhece o canal do Último Segundo no Telegram ? Entre e veja as principais notícias do dia no Brasil e no Mundo.

Anísio era um dos poucos integrantes da escola com máscara de proteção contra a Covid-19. O adereço combinava com o restante de sua fantasia, um terno preto.

Já Marcelo Calil, da Viradouro, estava tenso na armação da escola e chegou a dar uma bronca em dois componentes que dormiam deitados na pista enquanto a agremiação se aprontava. O bicheiro, condenado a 10 anos de prisão, entrou na Avenida ao lado da rainha de bateria da escola, Érika Januza. Calil não quis falar com o Extra.

Às vésperas dos desfiles, o ministro João Otávio de Noronha, do Superior Tribunal de Justiça (STJ), decidiu de forma monocrática anular a sentença da operação Furacão, que condenou os dois e outros 22 réus à prisão pelos crimes de corrupção ativa, formação de quadrilha e contrabando. A Procuradoria Geral da República (PGR) já recorreu da decisão. No processo anulado, Anísio foi condenado a mais de 20 anos de prisão e Calil, a três.

Se a decisão for mantida pela Quinta Turma do STJ, o processo volta à estaca zero — o que pode culminar na prescrição dos crimes. Além disso, condenações em outros processos decorrentes da Operação Furacão a que Anísio e Calil respondem também podem virar pó: as defesas dos bicheiros já estudam pedir a anulação das demais ações vinculadas.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários