Ned Price destacou a confiabilidade do sistema eleitoral brasileiro
Reprodução
Ned Price destacou a confiabilidade do sistema eleitoral brasileiro

O porta-voz do Departamento de Estado dos Estados Unidos, Ned Price, voltou a destacar a confiabilidade do sistema eleitoral brasileiro

Durante pronunciamento à imprensa em Washington, nesta quarta-feira, ele afirmou que as eleições no Brasil têm sido conduzidas “com sucesso” por um sistema “capacitado e testado ao longo do tempo”.

Questionado sobre a impressão do governo americano após a reunião, na segunda-feira, do presidente Jair Bolsonaro com embaixadores, o porta-voz americano disse conversar “desde o ano passado” sobre a segurança eleitoral do Brasil com “altos funcionários brasileiros”.

Price destacou ainda que o sistema eleitoral brasileiro “serve de modelo para nações não só no hemisfério, mas além também”, e disse que o governo americano vai “acompanhar as eleições em outubro com grande interesse e total expectativa de que serão conduzidas de maneira livre, justa e com credibilidade”.

“Isto é algo que conversamos, desde o ano passado, em privado, com altos funcionários brasileiros, mas também tornamos nossa posição conhecida publicamente. Nosso ponto é que as eleições têm sido conduzidas pelo sistema eleitoral brasileiro, capacitado e testado ao longo do tempo, e pelas instituições democráticas com sucesso há muitos anos. Serve de modelo para nações não só no hemisfério, mas além também”, afirmou Price.

“Como um parceiro democrático do Brasil, nós vamos acompanhar as eleições em outubro com grande interesse e total expectativa de que serão conduzidas de maneira livre, justa e com credibilidade, com todas as instituições relevantes que exercem sua função constitucional”, completou o porta-voz dos Estados Unidos.


A declaração acontece dois dias depois de Bolsonaro se reunir, na segunda-feira, com uma série de embaixadores. No encontro, ele fez uma apresentação com ataques ao sistema eleitoral, às urnas eletrônicas e a integrantes do Supremo Tribunal Federal (STF) e do TSE.

A iniciativa foi alvo de representações de partidos de oposição, que acionaram o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) para que sejam excluídos das redes sociais os vídeos em que o presidente Jair Bolsonaro (PL) aparece atacando as urnas eletrônicas e o sistema eleitoral, feitas na reunião.

Nunca houve fraudes nas eleições brasileiras desde que as urnas eletrônicas foram implantadas, em 1996. Ao contrário do que o presidente disse, a contagem de votos é feita pelo próprio TSE.

Entre no  canal do Último Segundo no Telegram e veja as principais notícias do dia no Brasil e no Mundo.  Siga também o  perfil geral do Portal iG.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários