Cantareira opera com menor nível em um mês de julho desde 2015
Assembleia Legislativa de São Paulo
Cantareira opera com menor nível em um mês de julho desde 2015

O Sistema Cantareira, reservatório que abastece 46% da população da RMSP (Região Metropolitana de São Paulo), está operando com apenas 39% da sua capacidade, o menor índice registrado para o mês de julho desde 2015.

Desde o dia 28 de junho, a Cantareira está operando abaixo de 40% da capacidade. Segundo as regras da ANA (Agência Nacional de Águas), o nível pode definir um estado de emergência para o próximo mês, faixa de alerta em que se encontra o Cantareira desde o início do mês.

A Sabesp (Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo), empresa responsável pelo Cantareira, informou em nota que mesmo com operando abaixo do esperado, os índices do reservatório não indicam riscos para o abastecimento de água na região.

“A Sabesp informa que não há risco de desabastecimento neste momento na RMSP, mas orienta o uso consciente da água, em qualquer época e em todos os municípios que opera”, diz a companhia.

Os índices das represas são atualizados diariamente pela Sabesp, e os demais mananciais estão em melhores situações que o Cantareira. O volume total armazenado nos sistemas que abastecem a RMSP está em 53,7%.

Em 2015, último ano em que o reservatório esteve em níveis parecidos com o atual no mês de julho, a Sabesp precisou utilizar o “volume morto”, como ficou conhecida a reserva técnica formada pela água abaixo das comportas. Leia a íntegra da nota da Sabesp:

“A Sabesp informa que não há risco de desabastecimento neste momento na Região Metropolitana de São Paulo, mas orienta o uso consciente da água, em qualquer época e em todos os municípios em que opera.

A Companhia reforça que o Cantareira faz parte do Sistema Integrado Metropolitano, que é composto ainda por outros 6 mananciais (Alto Tietê, Guarapiranga, Cotia, Rio Grande, Rio Claro e São Lourenço).

Desde a crise hídrica, os investimentos da Companhia tornaram o Sistema Integrado mais robusto e flexível (sendo possível abastecer áreas diferentes com mais de um sistema), com destaque para a implantação do novo sistema São Lourenço e para a interligação da bacia do Paraíba do Sul com o Cantareira.

Neste momento, o Sistema Integrado opera com 53,7 % da capacidade, nível similar, por exemplo, aos 51,1% de 2021, quando não houve problemas no abastecimento da Região Metropolitana.

A Sabesp esclarece que o Sistema Cantareira entrou no mês de julho na Faixa 3 – Alerta, conforme as regras da outorga (Resolução Conjunta ANA/DAEE 925/2017). A situação não prevê alteração na operação. A Companhia está retirando atualmente 22 m³/s, inferior ao limite máximo de 27 m³/s autorizado, o que é possível graças à integração com os demais sistemas.”

Entre no  canal do Último Segundo no Telegram e veja as principais notícias do dia no Brasil e no Mundo.  Siga também o  perfil geral do Portal iG.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários