Dono de petshop afirma que cachorro foi morto, não roubado
Divulgação - 1/04/2022
Dono de petshop afirma que cachorro foi morto, não roubado


Por duas semanas, a arquiteta Clarissa Camanho, de 27 anos, uniu todos os esforços em uma missão: encontrar Ted. Na quarta-feira, 16, por volta das 19h, a petshop comunicou que o cachorro da família teria sido roubado em assalto na 112 Asa Sul, em Brasília.

De acordo com a ocorrência, um funcionário do hotel teria sido abordado por dois homens armados. No entanto, nesta sexta-feira, 1, a verdade veio à tona. Após dois depoimentos falsos, o dono do estabelecimento fez contato com a família e assumiu que o maltês morreu dentro do estabelecimento, em briga com outro cachorro.

Esta é a terceira versão dada pelo empresário. No primeiro depoimento dado à polícia, a instituição disse que o pet teria sido levado por um assaltante. Em outro, mudaram a versão e disseram que o pet foi furtado de dentro do veículo. Intimado a depor nesta terça-feira, 29, Clarissa entrou em contato. Foi quando assumiu o que realmente tinha ocorrido com o Ted.

“Não quero que os outros sofram o pesadelo que eu vivi. Vou lutar por uma legislação mais rigorosa”, escreveu Clarissa Camanho ao GLOBO.

Relembre o caso
No dia 16/03, a notícia de que Ted teria sido roubado em assalto na 112 Asa Sul, em Brasília, foi dada pelo hotel de pets em que o animal estava hospedado. Ele teria sido roubado em um assalto à mão armada. Na ocasião, Clarrisa concedeu entrevista ao GLOBO.

Leia Também

“As janelas estavam abertas e só ouvi meu pai berrando "como assim? cadê o cachorro?". Desci do jeito que estava, descalça, liguei para a polícia, mas o próprio entregador já tinha feito isso “, disse à época.


O GLOBO teve acesso ao depoimento do proprietário em que a versão muda. De acordo com este novo termo de declaração, Ted estava dentro de uma caixa no banco de trás do veículo, enquanto o empresário comprava pão. Ao retornar, o pet teria desaparecido.

“Estacionei o carro em frente à padaria, deixei as portas destravadas e os vidros entreabertos e fui comprar pão. Quando terminei e voltei ao carro, percebi que tinham furtado o Ted e a caixa transportadora”, comunicou.

Desconfiada, Clarissa Camanho fez uma série de apelos. Após buscar testemunhas e imagens de câmera de segurança no suposto local do crime, a tutora estava desesperada. Nesta sexta-feira, 1, teve o desfecho: Ted morreu em briga com outro cachorro nas dependências do hotel. O corpo do animal foi exumado nesta sexta-feira e será cremado neste sábado.

Entre no  canal do Último Segundo no Telegram e veja as principais notícias do dia no Brasil e no Mundo.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários