Morro da Oficina, em Petrópolis local mais atingido pela enchente há um mês
Tomaz Silva/Agência Brasil - 14.03.2022
Morro da Oficina, em Petrópolis local mais atingido pela enchente há um mês

A Polícia Civil informou, nesta segunda-feira (21), que identificou quatro das cinco vítimas encontradas mortas em Petrópolis, na Região Serrana do Rio, após o temporal que atingiu a cidade neste domingo (20). O quinto corpo ainda aguarda resultado do exame papiloscópico (coletado por digitais).

De acordo com a instituição, a demora na identificação se dá pelo estágio avançado de decomposição do cadáver, o que fez os peritos suspeitarem que a vítima tenha falecido na tragédia de fevereiro, quando 233 pessoas morreram.

Ainda segundo a polícia, caso a identificação não seja possível, será feita outra coleta de material genético para confronto de DNA com familiares de outros desaparecidos.

Vítimas das chuvas de domingo que foram identificadas:

Carmelo de Souza
Nelson Ricardo Ferreira da Costa
Jussara Belarmino Souza
Heloisa Helena Caldeira da Costa

Leia Também

População traumatizada

A última terça (15) marcou um mês da tragédia que devastou a cidade. Quatro vítimas ainda são consideradas desaparecidas pela Delegacia de Descoberta de Paradeiros (DDPA).

A chuva foi a pior registrada em Petrópolis desde 1932, quando o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) começou a fazer medições. O total em três horas chegou a 258,6 milímetros. Em 24 horas, foram 259,8 mm.

Há mais de 600 pessoas desabrigadas em Petrópolis que tiveram suas casas derrubadas pela correnteza. Outras tiveram que deixar seus lares por risco de desabamento.

Entre no  canal do Último Segundo no Telegram e veja as principais notícias do dia no Brasil e no Mundo.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários