Comerciantes do pólo de moda da Rua Teresa, na região central de Petrópolis, retomam atividades após as chuvas
Fernando Frazão/Agência Brasil
Comerciantes do pólo de moda da Rua Teresa, na região central de Petrópolis, retomam atividades após as chuvas

Passados 16 dias da tragédia das chuvas em Petrópolis , que deixou 232 mortos, 1117 desabrigados e ainda cinco desaparecidos , o comércio da Rua Teresa e região do Centro da cidade tenta retomar o movimento para se recuperar dos prejuízos decorrentes do temporal. Na parte alta da rua, muitas lojas já reabriram suas portas, inclusive no período de carnaval, mas o movimento ainda está baixo, com alguns comércios não tendo vendido sequer uma peça de roupa.

No entanto, não é toda Rua Teresa que retomou o movimento. O trecho entre a Rua 24 de Maio e, principalmente, a Servidão Homorato da Silva Pereira, onde houve deslizamentos que destruíram inclusive o asfalto, apesar de o cenário estar completamente diferente do dia seguinte da chuva, ainda há muita limpeza e reparos a serem feitos no comércio, que nesta área segue sem previsão de retorno.

Gerente de uma loja especializada em jeans, Luciana Avelar relata que desde a reabertura da loja, na semana passada, as vendas foram mínimas, assim como a procura dos clientes. Ela espera que o movimento reaqueça ao longo do mês e uma retomada real para abril, quando começa a demanda para o Dia das Mães.

"A gente inclusive abriu nesse período de carnaval para ajudar na recuperação, mas o movimento ainda está muito fraco aqui e nas outras lojas da rua. Tem dia que não fazemos uma venda sequer. Vamos ver se ao longo do mês os consumidores voltam, principalmente com a aproximação do Dia das Mães", disse.

Moradora da região de Corrêas, a psicóloga Bruna Assis percorria a Rua Teresa em busca de uma roupa para a filha. Animada, ela não esperava ver o comércio reaberto tão cedo após a tragédia e torce para que a região se recupere o mais breve possível.

"Fiquei feliz que as lojas reabriram nesta semana. Eu estive aqui dois dias após o temporal e não achava que fosse voltar a funcionar tão rápido. Fico feliz que isso mostra o esforço da cidade, das pessoas em retomarmos a vida, mesmo com tantas perdas trágicas. Vim fazer uma compra para dar uma ajuda. Espero que muitas pessoas venham também, pois Petrópolis está precisando", pediu Bruna.

Leia Também

Assim como na Rua Teresa, o comércio na Rua do Imperador também reabriu as portas e contava com um movimento maior, devido à variedade de lojas, já que não conta apenas com lojas de vestuário. No entanto, uma das lojas mais atingidas e que provocou comoção em todos, seguia fechada.


Na Livraria Nobel, onde a imagem dos livros destruídos pela água e colocados na calçada viralizou, funcionários seguiam contando o estoque nesta quarta-feira. No entanto, o proprietário Amauri Madeira avisava a todos que passavam na porta do estabelecimento, que as portas serão abertas no próximo sábado e fez um apelo aos leitores petropolitanos.

"Nossa perda foi muito grande, muito mesmo. Mas seguimos aqui e vamos reabrir no sábado. Pedimos agora a quem quer ajudar nossa livraria a seguir que venham nos visitar e comprem. Estaremos de portas abertas e prontos para receber todos nossos clientes de volta", afirmou.

Entre no  canal do Último Segundo no Telegram e veja as principais notícias do dia no Brasil e no Mundo.


    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários