Chuvas em Petrópolis (RJ)
Reprodução / CNN Brasil
Chuvas em Petrópolis (RJ)

Com o raiar do dia em Petrópolis , na Região Serrana do Rio, moradores da cidade iniciaram uma corrida atrás de alimentos e água potável. Com a maior parte do comércio da região central preocupado com a limpeza a contagem dos prejuízos, o único supermercado aberto, que fica na Rua Teresa, registrou fila de mais de cem pessoas em busca de mantimentos.

O diretor da unidade, Adilson Ezequiel Brum, resolveu abrir as portas mesmo sem 70% dos seus funcionários. Com isso ele mesmo e parentes assumiram as funções de atendente e caixa, entre outras. Devido ao fluxo de pessoas e ao número reduzido de funcionários, o acesso foi controlado a 10 pessoas por vez dentro da loja.

"A gente trabalha em um ramo essencial e não podíamos deixar de abrir hoje. Não estou limitando por quê tem muita gente comprando para doação e parentes, mas daqui a pouco já deve acabar", disse.

Na fila, a maioria das pessoas se mostrava preocupada com o estoque de água, uma vez que não havia limite. A vendedora Ana Alma levou um pack com seis garrafas para ela e a filha.

"Vários bairros estão sem água e só encontramos esse supermercado aberto. Pode ser que normalize amanhã, mas hoje a gente está com essa necessidade. Tive de enfrentar essa fila gigantesca e levei uns 40 minutos para entrar", disse.

O empresário Marcio André e a esposa Daniela da Silva também estavam preocupados em comprar água e alimentos. Com mais cinco pessoas em casa, eles iriam levar o que pudessem carregar.

Leia Também

"Estamos esperando e vendo se vamos conseguir levar água. Essa é a maior preocupação, já que são mais cinco pessoas em casa. Moro aqui há 52 anos e nunca vi uma destruição como essa", contou Marcio.

19 bairros sem água

A concessionária Águas do Imperador informa que 19 bairros sofrem com desabastecimento de água: Quitandinha, Cel Veiga, Alto da Serra, Centro, Estrada da Saudade, Siméria, Sargento Boening, Centenário, Fazenda Inglesa, Cascatinha, Retiro, Carangola, Vale dos Esquilos, Comunidade do Neylor, Comunidade São Luiz, Morin, Vila Felipe, Valparaíso e Parque São Vicente. Diz ainda que alguns deles estão sem energia elétrica, o que impede o funcionamento das bombas, e em outros locais as redes foram rompidas – especialmente as que atravessam os rios.

Segundo a empresa, equipes técnicas estão trabalhando para restabelecer o sistema o mais rápido possível, mas não há previsão para conclusão dos reparos. A concessionária solicita aos moradores dessas regiões que usem água de forma consciente para evitar o desabastecimento.

A loja de atendimento presencial da Águas do Imperador, no Centro, não está funcionando, pois foi inundada, assim como a sede da concessionária, em Morin.

A Enel Rio, concessionária de energia elétrica que atende o município, informa que os principais bairros afetados com queda de barreiras e trechos interditados são Floresta, Alto da Serra, Sargento Boening, Vila Militar, Coronel Veiga, Manoel To rres, Quitandinha, Saldanha Marinho, Barão do Rio Branco. No Centro da cidade, as ruas mais impactadas são Washington Luiz, Rua do Imperador, Rua 16 de Março, Rua 24 de Maio.

"Diante desse cenário, a Enel Rio montou uma operação especial, envolvendo diferentes áreas da empresa, com o objetivo de restabelecer os clientes afetados no menor tempo possível, e aumentou em 8 vezes o número de equipes em campo, deslocando equipes de Niterói, São Gonçalo, Magé e Teresópolis para ajudar nessa tarefa que está sendo d ificultada pela falta de acesso nas áreas interditadas", disse a concessionária em nota.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários