Chuvas em Petrópolis (RJ)
Reprodução / CNN Brasil
Chuvas em Petrópolis (RJ)

A forte chuva que caiu na cidade de Petrópolis na tarde de terça-feira (15) deixou ao menos 58 mortos, de acordo com a Polícia Civil. Deste número, ao menos 30 já foram reconhecidos. As buscas por desaparecidos continuam e corpos são encontrados a todo o momento.

Entre os mais de 171 pontos de deslizamento, o mais crítico é o do Morro da Oficina: parte da encosta foi abaixo durante a tarde e pelo menos 80 casas foram atingidas. O município decretou Estado de Calamidade Pública e os militares seguem trabalhando. Há previsão de mais chuva para esta quarta-feira.

Após o temporal que caiu na tarde de terça-feira, a região central ficou completamente destruída. Ao menos 12 corpos foram encontrados na Rua do Imperador, uma das mais famosas e turísticas da cidade, próximo ao Museu Imperial ao Palácio de Cristal. Na Rua Teresa, conhecida pelo seu comércio têxtil, uma encosta deslizou e dezenas de veículos ficaram pelo caminho.

No início da manhã, no Morro da Oficina, uma mulher clamava pelo nome da filha e tentava ajudar os bombeiros nas buscas por ela e outros parentes, que estão desaparecidos. Ela chegou a cavar os escombros com uma enxada para encontrá-las. "Estão minha filha, a tia dela e uma neném, filha da minha afilhada, debaixo dos escombros. Eu já estou perdendo as esperanças. Um bebê de 1 ano de idade sem respirar, debaixo da lama. Você consegue?", disse a mulher, desolada, à TV Globo.

No Alto da Serra, irmãos buscavam nos escombros os corpos dos pais, que viviam há mais de 40 anos na mesma casa.

Leia Também

"A gente precisa de um mínimo necessário para reconstruir a cidade. Decretei estado de calamidade pública porque a cidade não tem a menor capacidade de se mobilizar sozinha", disse o prefeito de Petrópolis, Rubem Bomtempo, à TV Globo.

A maior incidência de deslizamento ocorreu nos bairros do Centro, Quitandinha, Caxambu, Alto da Serra e Castelânea. Em poucas horas de terça-feira, choveu o previsto para o mês inteiro: o maior registro é de 125.8 mm/h, às 17h15 no Alto da Serra (INEA). No São Sebastião, o acumulado pluviométrico em 6 horas chegou a 259.8 mm, às 21h10.

Ao longo da manhã, fez aeronaves das forças de segurança do estado auxiliarão os trabalhos do Corpo de Bombeiros local, onde mais de 180 militares trabalham no atendimento à população.

No momento, famílias estão sendo acolhidas em pontos de apoio que funcionam em escolas da cidade. São elas:

- 24 de Maio
Escola Estadual Augusto Meshick (Rua 24 de Maio, s/n)
- Alto da Serra
Escola Municipal Vereador José Fernandes da Silva (Rua Teresa, 1.781)
- Bingen
Salão Paroquial São Paulo Apóstolo (Rua João Xavier, 799)
- Dr. Thouzet
Escola Paroquial Bom Jesus (Rua Dr. Thouzet, 820)
- Independência
Escola Municipal do Alto Intependência (Rua Leonor Maia, 1.670)
- Itaipava
Escola Municipal Dr. Paulo Buarque (Estrada de Petrópolis, km 2)
- Quitandinha - Amazonas
Escola Municipal Stefan Zweig (Rua Sergipe, s/n)
- Quitandinha - Duques
Escola Municipal Odette Fonseca (BR-040 sentido Juiz de Fora, km 85)
- Quitandinha - Espírito Santo
Escola Municipal Governador Marcello Alecanr (Rua Amaral Peixoto, s/n)
- Quitandinha - Rio de Janeiro
Centro de Educação Infantil Chiquinha Rolla (Rua Campos, s/n)
- São Sebastião
Escola Municipal Papa João Paulo II (Rua São Sebastião, 625)
- Sargento Boening
Escola Municipal Ana Mohammad (Estrada do Paraíso, 710)
- Siméria
E.M. Rosalina Nicolay (Estrada Presidente Sodré, s/n)
- Vale do Cuiabá
Quadra Boa Esperança (Estrada Ministro Salgado Filho s/m)
- Vila Felipe
Escola Municipal Dr. Rubens de Castro Bomtempo (rua Permínio Schimidt, s/n)
- Floresta
Escola Municipal Duque de Caxias (Travessa Luciando Camarota, 78)

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários