O café frio da urubuzada bolsonarista
O Antagonista
O café frio da urubuzada bolsonarista

Ao desembarcar rumo ao Peru para uma reunião com o representante do país, Pedro Castillo, Jair Bolsonaro fez uma série de declarações aos repórteres que o aguardavam. O mandatário falou sobre o cartão corporativo, sua viagem ao país vizinho e criticou a Rede Globo.

Cartão corporativo e Rede Globo

Sobre o cartão corporativo, o mandatário se defendeu das acusações sobre os gastos exorbitantes que foram relatados numa matéria do Jornal O Globo.

Bolsonaro ainda criticou a TV Globo, citando uma matéria recente sobre o uso do cartão corporativo. "A TV Globo falou que eu e meus filhos gastamos horrores no cartão corporativo. (...) O meu gasto, que eu estou aqui hoje, tem peso no cartão corporativo. Minha viagem ao Suriname, tem despesas. E eu viajo, né? Diferente de outras pessoas, que não viajavam porque não tinham nada para fazer", disse.

Ele ainda acusou a família Marinho, dona da emissora, de corrupção. "A família Marinho foi discutir sobre corrupção, que o Tacla Duran em delação premiada falou que entregava para a Família Marinho lá no no estacionamento no Rio de Janeiro, do Jardim Botânico, uma coisa fantástica... Foi mais de um bilhão de vários anos para a família Marinho, isso é corrupção. Foi para ajudar o PT, para fazer propaganda do governo na época", disse o mandatário.

Viagem ao Peru

Segundo o Presidente, o encontro terá como debate principal os acordos bilaterais entre os países, com enfoque numa saída para o pacífico. Os acordos políticos, por sua vez, não são pautas esperadas. "Política cada um cuida do seu pedaço", disse o mandatário.

Leia Também

Quando Castillo foi eleito, em junho de 2021, Bolsonaro lamentou o fato do político esquerdista ter assumido as rédeas do país latino-americano: "perdemos o Peru", disse.

Hoje, porém, o discurso mudou: "queremos uma América do Sul livre, liberdade de expressão, liberdade de imprensa... Esse encontro aqui tem a ver com isso: nós podemos ter uma boa relação e a democracia integrar, de fato, a relação entre os países."

Depois de dizer que o Brasil mantém um bom relacionamento com a maioria dos países da América Latina, Bolsonaro faz declarações sobre a Venezuela. "Hoje em dia, chegamos a bater 800 por dia saindo da Venezuela (...) Lá não tem nem cão nem gato mais para comer, comeram tudo."

Citando novamente a suposta "perseguição" por parte da mídia, Bolsonaro diz que não tem planos de limitar a liberdade dos veículos de imprensa. "Da  minha parte, vocês jamais irão me ver falar de "vou mandar para o congresso uma proposta para regular ou democratizar a mídia". Jamais."

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários