Copiloto José Porfírio de Brito Júnior, de 20 anos
Reprodução
Copiloto José Porfírio de Brito Júnior, de 20 anos

Após a  paralisação das buscas do Corpo de Bombeiros, Marinha e Aeronáutica pelo avião bimotor que caiu na região entre Ubatuba (SP) e Paraty (RJ), no dia 24 de novembro, Ana Regina Agostinho, a mãe do copiloto José Porfírio de Brito Júnior, de 20 anos, divulgou, na segunda-feira, uma rifa de um colar para continuar nas buscas pelo filho. Ela também divulgou um número de PIX para os seguidores. Na próxima quinta-feira, o caso completará um mês. Até o momento, somente o corpo do piloto foi encontrado.

O Corpo de Bombeiros do Rio foi a última equipe a finalizar as buscas na região, na semana passada, após apelos feitos por Ana Regina Agostinho e pela namorada do copiloto, Thalya Viana, que fizeram com que autoridades pedissem à corporação a extensão do prazo. Atualmente, somente a família do copiloto está percorrendo a área com um barco custeado por eles.

"Uma mãe nunca vai desistir de um filho, ainda mais do meu. Quem conhece sabe quem o Junior é. Ele é o melhor filho que toda mãe deseja ter na vida. Eu não desisto dele jamais. A mãe vai continuar te procurando. Você é o orgulho da minha vida e de muita gente à sua volta. Ele era o ser humano mais incrível, mais bondoso", diz a mãe do copiloto em um vídeo publicado em sua rede social.

Em outro vídeo, Ana diz que as rifas já estão chegando para pessoas de fora do país:

"Fico feliz porque as rifas já estão saindo do nosso país, pessoas de foras estão compartilhando. Isso me dá um aconchego bem grande".

Relembre o caso

No dia 24 do mês passado,  o bimotor saiu do Aeroporto de Jacarepaguá, seguiu para Campinas e retornaria à capital fluminense às 18h30min. No entanto, segundo familiares do copiloto, a viagem atrasou e a decolagem só aconteceu as 20h30min. Pouco depois das 21h, a mãe de rapaz, que acompanhava o trajeto, perdeu contato do rastreio.

Três pessoas estavam a bordo do avião: o piloto Gustavo Carneio, de 27 anos, o copiloto José Porfírio de Brito Júnior, de 20 anos, e o empresário, campeão brasileiro de Jiu-Jitsu e passageiro da aeronave Sérgio Dias, conhecido como Serginho. José e Sérgio seguem desaparecidos.

De acordo com a Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC), o avião estava em situação normal, com autorização para realizar voos noturnos, porém, não poderia fazer táxi aéreo. O bimotor foi fabricado em 1981. Seu Certificado de Verificação de Aeronavegabilidade (CVA) venceria em 6 de agosto de 2022.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários