RJ: Após cancelar o réveillon, Paes diz que segue
REPRODUÇÃO/AGÊNCIA BRASIL
RJ: Após cancelar o réveillon, Paes diz que segue "planejando o carnaval"

Na manhã deste sábado (04), o  prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes (PSD), deu entrevista e falou sobre a possibilidade de ter carnaval na cidade. Horas antes, ele havia anunciado que a famosa festa de réveillon da Praia de Copacabana estava cancelada. Segundo o prefeito, ele só pretende cancelar as festividades carnavalescas, se o comitê científico der parecer contrário à realização do evento.

"Eu só vou tomar a decisão se o comitê científico disser que não pode ter. Ou se pode ter assim, não pode ter assado. Aqueles que vocalizam em nome da ciência precisam ter muita responsabilidade naquilo que dizem. Porque isso confunde e tem uma importância de coesão social neste momento. Não dá para ter decisões de autoridades conhecidas da saúde dizendo uma coisa e o outro diz outra, fica confuso. Meu apelo é esse. Sigo a ciência sempre", pontuou ele.

O prefeito disse ainda que o planejamento para o carnaval:

"Nós vamos seguir planejando o carnaval. Receio com a pandemia temos o dia inteiro, a pandemia está ai, ela não acabou. Mas, está muito cedo para tomar qualquer decisão. Por enquanto, escolas de samba, planejem seu carnaval, continuem se organizando! Se Deus quiser, vamos ter a festa."

O prefeito também lembrou que ainda há tempo para se tomar uma decisão sobre o carnaval e que muitas opiniões sobre algumas celebrações são embasadas no preconceito.

Leia Também

"Faltam três meses para o carnaval. Acho que há grupos fazendo ataques seletivos a determinadas celebrações por motivos de preconceito, na minha opinião. Tomara que não precise cancelar o carnaval. Não só pela importância dessa festa e dessa celebração para a cultura do nosso país, mas também pela importância econômica para a cidade do Rio e para todo o Brasil", destacou Eduardo Paes.


No entanto, alguns blocos de carnaval já se anteciparam e decidiram cancelar seus desfiles, depois da notícia do surgimento da variante Ômicron, do novo coronavírus, como foi o caso do Bloco da Preta.

No último mês, a Riotur, que organiza os cortejos dos blocos de carnaval pela cidade, recebeu pedidos de autorização de 506 blocos para 620 desfiles. Apesar do cancelamento do bloco da Preta Gil, a lista permanece igual. Isso porque a inscrição não é garantia de que o bloco de fato desfilará. A autorização só vem após a avaliação dos órgãos municipais e estaduais, como o Corpo de Bombeiros, a Polícia Civil e a Militar. A lista com os blocos autorizados deve sair este mês.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários