Manchas de óleo cru em praia do Rio Grande do Norte
Divulgação
Manchas de óleo cru em praia do Rio Grande do Norte

Polícia Federal informou nessa quinta-feira que concluiu as investigações acerca das manchas de óleo que apareceram no litoral brasileiro em 2019. De acordo com a PF, um navio petroleiro de bandeira grega teria sido o responsável pelo desastre ambiental, que gerou um custo de mais de R$ 188 milhões aos cofres públicos para limpeza de praias e oceano.

Divididas em três etapas, as investigações analisaram características da substância, o local onde se originou o vazamento e documentos que pudessem esclarecer informações, com os quais o Brasil contou com apoio da Interpol.

A partir dessas provas a PF chegou à conclusão que existe ''indícios suficientes de que um navio petroleiro de bandeira grega'' teria sido o causador do desastre ambiental.

''Foram indiciadas pela prática dos crimes de poluição, descumprimento de obrigação ambiental e dano a unidades de conservação a respectiva empresa e seus responsáveis legais, bem como o comandante e o chefe de máquinas do navio'', informou a Polícia em nota.

A PF ainda divulgou os gastos com a limpeza de praias e oceano após o derramamento de óleo. Segundo a instituição, órgãos Federais, Estaduais e Municipais acaram mais de R$ 188 milhões para recuperação ambiental, ''estabelecendo-se assim um valor inicial e mínimo para o dano ambiental. Depois das apurações a respeito do valor total gasto, a PF deverá encaminhar o laudo as autoridades competentes.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários