Governador de São Paulo, João Doria
Reprodução/Youtube
Governador de São Paulo, João Doria

Eleito pré-candidato do PSDB à Presidência em 2022, o governador João Doria (PSDB) sinalizou que o ex-ministro da Justiça Sergio Moro (Podemos) deve ser prioridade na construção de uma frente ampla para as eleições do ano que vem.

Em entrevista coletiva na sede do diretório estadual paulista nesta segunda, Doria também anunciou o nome do ex-ministro e atual Secretário da Fazenda e Planejamento de São Paulo, Henrique Meirelles, como integrante de sua equipe econômica de campanha.

O tucano venceu as prévias do partido no sábado com 53,99% dos votos, contra 44,66% do governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite, e 1,35% do ex-senador e ex-prefeito de Manaus, Arthur Virgilio. A votação foi concluída após adiamento de uma semana por pane técnica e suspeitas de ataque hacker.

Assim que voltar de sua viagem aos Estados Unidos, o governador já tem encontro marcado com o ex-juiz e com a presidente do Podemos, deputada Renata Abreu. Segundo Doria, Moro tem "protagonismo" na frente democrática, liberal e social que será colocada como alternativa às candidaturas do presidente Jair Bolsonaro e do ex-presidente Lula, ambos líderes das últimas pesquisas.

Sobre uma possível composição com Moro, onde poderia abrir mão de ser o cabeça de chapa, o tucano disse que "ainda é cedo" e há um longo período para sedimentar a decisão, mas ressaltou que mantém um bom diálogo com o ex-juiz antes mesmo de sua entrada no governo Bolsonaro.

Até o final da próxima semana, o governador pretende anunciar todos os integrantes de sua equipe econômica de campanha. Ao todo, serão seis pessoas, sendo três mulheres. O único confirmado por ele na coletiva foi Meirelles, que chegou até a ser cogitado como possível vice de Lula.

"Não teremos posto Ipiranga. Todos os seis serão protagonistas e vão deliberar a construção de um programa econômico do Brasil", disse o governador, que quer compartilhar ideias para o país com outras campanhas. Ele estava acompanhado de nomes como o vice-governador Rodrigo Garcia, o secretário de Desenvolvimento Regional do Estado de São Paulo, Marco Vinholi, e o coordenador das prévias, Wilson Pedrosa.

O tucano ainda negou ter convidado Leite para ser coordenador de sua campanha. No entanto, afirmou que o gaúcho terá "papel de protagonismo" na campanha do PSDB ao Planalto.

Doria, que aparece com 3% na última pesquisa do Ipec, minimizou sua má colocação e rejeição em São Paulo, argumentando que o mesmo ocorreu me sua campanha ao governo de São Paulo, em 2018. Ele espera crescer nas pesquisas com "muito trabalho" e rodando todo o Brasil a partir de janeiro de 2022.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários