Bolsonaro é chamado de genocida e diz que manifestante
Reprodução: iG Minas Gerais
Bolsonaro é chamado de genocida e diz que manifestante "não tem cérebro"

presidente Jair Bolsonaro (sem partido) participou, nesta quinta-feira (30), de uma cerimônia do projeto para as obras do metrô em Belo Horizonte, em Minas Gerais. Durante seu discurso, o mandatário foi hostilizado por uma manifestante que o chamou de "genocida". Na sequência, o político afirmou que não a responderia já que ela "não tem cérebro". Assista:


"Isso é bom que aconteça. Eu não vou ofender essa senhora que proferiu essas palavras, que nem deu para entender. Diz o velho ditado: quem até os 30 (anos) não foi de esquerda, não tem coração. Quem depois dos 30 continua na esquerda, não tem cérebro", afirmou Bolsonaro.

O Capitão do Exército aproveitou o palanque para falar sobre as eleições presidenciais de 2022. Ao mencionar o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), Jair disse que será um "prazer debater" com o candidato petista. "Vamos comparar 14 anos do PT com quatro do meu governo".


Bolsonaro também disse que não é possível "discutir política com a esquerda". "Imagina se, na minha cadeira, estivesse aquele que foi o segundo lugar nas eleições de 2018. Como estaria o Brasil? Inteligente é aquele que aprende com o erro dos outros. As pessoas menos inteligentes aprendem com os próprios erros. Essa pessoa que teve agora há pouco, por não ter inteligência, não vai aprender nunca".

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários