Portão da mansão onde o crime ocorreu em 2002 aparece desfocado no Google Street View
Reprodução
Portão da mansão onde o crime ocorreu em 2002 aparece desfocado no Google Street View

O lançamento dos  filmes "A Menina Que Matou os Pais" e "O Menino Que Matou Meus Pais" fez com que, quase 19 anos após o assassinato do engenheiro Manfred Albert von  Richthofen e da psiquiatra Marísia von Richthofen, o caso voltasse à tona.

O casal foi morto pelos irmãos Daniel e Cristian Cravinhos, a mando da filha, Suzane von Richthofen , em uma mansão localizada na Zona Sul de São Paulo. Os curiosos que forem buscar o endereço da casa na internet, porém, vão se deparar com uma imagem desfocada.

O efeito utilizado para borrar o portão da residência já é utilizado pelo próprio Google Street View para desfocar rostos e placas de carros, por exemplo. No entanto, qualquer pessoa pode pedir que seu imóvel ou qualquer outra coisa que tenha sido fotografada pela empresa seja borrada também.

Recurso já é utilizado pelo Google
Reprodução
Recurso já é utilizado pelo Google

No próprio site há um formulário para fazer a solicitação, que será analisado pelo Google. Conteúdo sexualmente explícito, assédio, discurso de ódio e informações de identificação pessoal são alguns dos motivos que permitem o desfoque da imagem, de acordo com a política de privacidade e aceitação de imagens da empresa.

A mansão foi vendida em 2014, dois meses após Suzane abdicar da herança deixada pelos pais e, hoje em dia pertence à outra família. Os moradores  atuais reformaram a casa, inclusive a fachada, que foi pintada de branco, cobrindo as antigas pichações — feitas após o crime — e os tijolos aparentes.

O valor pelo qual a casa de dois andares, com piscina, escritório e biblioteca foi vendida não foi informado.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários