Fuzil furtado em hotel em Brasília
Divugação
Fuzil furtado em hotel em Brasília

Um sumiço de um fuzil da marca Taurus, modelo T4A1, e munições mobilizou as Polícias Militar e Civil de Brasília esta semana. Com uma história ainda em aberto, com buracos, a investigação segue em busca de respostas para o que ocorreu num quarto de um hotel localizado bem na área central da capital, na última segunda-feira . O fuzil até foi localizado, mas ninguém foi preso.

O dono do fuzil é um "CAC" (Caçador, Atirador e Colecionador), um segmento de admiradores e apreciadores de armamentos que praticam o tiro. A turma do "CAC" ganhou visibilidade com o governo de Jair Bolsonaro e chegou a organizar uma marcha em Brasília a favor da flexibilização do uso e porte de armas. 

Sem identidade revelada, um homem, que é advogado e tem 41 anos, entrou no flat, na ausência do hóspede e dono da arma . Estava acompanhado de duas mulheres. E a levou para a casa do pai, no Lago Sul, bairro nobre da cidade.

Em depoimento na 5ª Delegacia de Polícia, esse advogado declarou acreditar que a arma se tratava de um brinquedo, do tipo "airsoft", um tipo de esporte, com pistolas que disparam bolinhas. Segundo o jornal "Metrópoles", o homem disse ainda aos investigadores que conhece há 30 anos o dono do flat e tem o hábito de usar o imóvel em algumas ocasiões. Ao chegar no flat do amigo, ele encontrou um "case", um estojo grande, que imaginou armazenar um violão. Abriu, era um fuzil. 

Ao retornar ao hotel, esse advogado deparou com o hóspede dono do fuzil e fez-se a confusão. Cobrado, o advogado tentou explicar o furto do armamento, disse que imaginou ser do amigo dono do flat, mas não o convenceu. 

O dono do fuzil, que havia passado o dia fora, em viagem ao interior de Minas, tomou satisfações do advogado, houve empurrões. Imagens de câmeras do circuito interno registraram o momento em que o proprietário do fuzil tenta manter as pessoas no hotel, as impedindo de sair, diante do impasse. Momentos depois, o dono do flat chegou no hotel, viu as imagens e reconheceu o advogado, que não estava mais no local.

Todos, então, foram ao endereço do advogado e foram recebidos pelo pai do rapaz. Após uma busca na casa, os policiais militares encontraram a arma.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários