Comandante da Polícia Militar de São Paulo é afastado após realizar convocação a ato bolsonarista
Reprodução
Comandante da Polícia Militar de São Paulo é afastado após realizar convocação a ato bolsonarista

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB) , afastou na manhã desta segunda-feira (23) o comandante da Polícia Militar e chefe do Comando de Policiamento do Interior-7, coronel Aleksander Lacerda, por ato de indisciplina .

"Aqui no estado de São Paulo nos não teremos manifestações de policiais militares na ativa de ordem política. Não admitiremos nenhuma postura de indisciplina, como foi feita pelo coronel Aleksander. Agora ele está afastado da Polícia Militar a partir desta manhã", disse o governador em coletiva na manhã de hoje.

A decisão ocorre após o servidor publicar, em suas redes sociais, mensagens de convocação para a manifestação bolsonarista que ocorrerá no dia 07 de setembro.

Leia: Bolsonaro é alvo de um pedido de impeachment a cada seis dias

Em sua conta no Facebook, Lacerda também compartilhava montagens depreciativas de João Doria; chamava o presidente do Senado Federal, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), de "covarde"; e dizia que Rodrigo Maia (sem partido), recém contratado pelo governo de São Paulo para ser o secretário de Projetos e Ações Estratégicas, seria um "mafioso".


Não obstante, Aleksander escreveu em sua convocação que "liberdade não se ganha, se toma" e que "o caldo" da Avenida Paulista, no dia 07 de setembro, "vai entornar". Em outra postagem, o comandante alegou que "nenhum liberal de talco no bumbum" seria capaz de "derrubar a hegemonia esquerdista no Brasil", e que por isso, a manifestação precisaria "de um tanque, não de um carrinho de sorvete".

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários