Dabliu Mendes durante carreata em Arenápolis
Arquivo pessoal
Dabliu Mendes durante carreata em Arenápolis


O empresário Dabliu Mendes, sócio proprietário da Mega Loja Prime, especializada em moda e localizada na pequena cidade - com aproxidamente 10 mil habitantes, segundo o Censo -  de Arenápolis (MT), "chocou" os moradores do município ao fazer uma carreata para distribuir R$ 10 mil aos munícipes. 

Segundo Mendes, ele decidiu distribuir o dinheiro por ser um empresário diferente dos demais, que valoriza os clientes e os colaboradores - "responsáveis por seu lucro". 

"Eu nunca tive nada na vida, não nasci em berço de ouro. O fato de eu ser como eles, faz eu entender que a minha posição atual não me dá o direito de desprezar os demais. Empresários, geralmente, exploram os empregados. Querem tirar o máximo deles. Não se importam se estão bem ou se estão com os filhos doentes. Só querem que eles trabalhem. E, se morrer, colocam outro no lugar ", afirmou Dabliu.

Em entrevista ao iG, o dono da Mega Loja Prime revelou cuidar bem de seus funcionários, proporcionando a eles até um quarto de descanso dentro do estabelecimento, com acesso ao serviço de streaming da Netflix. "Eu valorizo meus funcinários porque eles que me dão lucro", contou Mendes.

Você viu?

Ao ser questionado sobre a ação, Dabliu disse, ainda, que considera o marketing a "alma do negócio". Com seu estilo diferenciado de captar a atenção de seus clientes, Dabliu Mendes não foi muito bem visto por outros emprendedores da cidade. "Meus concorrentes não gostaram muito. É natural. Conquistamos muita gente. Meu número até vazou e recebi muitas críticas por ter feito essa ação. Pessoal questionou por que não investi este dinheiro na compra de cestas básicas", disse o empresário.

Segundo Mendes, desde que assumiu a loja ao lado do seu irmão, o lucro aumentou em 300%. Além disso, Dabliu mencionou que contratou muita gente durante a pandemia e não precisou demitir ninguém.


R$ 10 mil ou R$ 100 mil?

Surpreso com a repercussão em Mato Grosso e em outros estados do Brasil, o empresário disse que sua família chegou a questioná-lo: "Você não tem medo de ser sequestrado?".

Segundo ele, em nenhum momento, sentiu-se ameaçado: "Medo nenhum. Eu entendo que, para as pessoas humildes, R$ 10 mil sejam muita coisa. Mas, na real, o que são R$ 10 mil hoje em dia? Pela preocupação e pela repercussão, achei que a doação tivesse sido de R$ 100 mil", brincou.  


    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários