Jarcedi Hahn esperou pela mulher na frente de hospital de 11 de julho até 04 de agosto, mas ela não resistiu
REPRODUÇÃO/TVCA
Jarcedi Hahn esperou pela mulher na frente de hospital de 11 de julho até 04 de agosto, mas ela não resistiu

Na última quarta-feira, 04, morreu Cristiane Fagundes Hahn, 42, que estava internada com Covid-19 na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) Hospital Metropolitano, em Várzea Grande (MT), desde o dia 11 de julho. O caso dela recebeu destaque midiático após o  marido dela, o empresário Jarcedi Hahn, passar a colocar, todos os dias, duas cadeiras no gramado do hospital para esperá-la.

Em todos os dias de internação da esposa, Jacerdi levava duas cadeiras de praia para a unidade de saúde, onde tomava chimarrão, esperando por ela. Uma segunda cadeira era colocada a seu lado, para quando ela recebesse alta, explicou o empresário.

Durante a internação, Cristiane chegou a ser intubada, mas apresentou melhora nos últimos dias e retirou o tubo. Pouco depois, piorou novamente e mais uma vez precisou do mecanismo para respirar.

Nesta semana, Jarcedi receberia a primeira dose da vacina no município onde mora. Mas, para não precisar sair de perto da esposa, a Prefeitura de Sapezal enviou a dose para que os profissionais de Várzea Grande fizessem a aplicação.

Após não resistir aos efeitos da Covid-19, Cristiane deixou três filhos que teve com Jacerdi. Uma das filhas ia visitar a mãe, mas ela faleceu antes de ver a menina.

- Com informações do G1.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários