Os compradores e a mãe da criança foram encaminhados para a delegacia
Reprodução
Os compradores e a mãe da criança foram encaminhados para a delegacia

Marilza Medeiros da Conceição, acusada de vender a filha recém-nascida por R$ 200 no ano passado, foi presa nesta terça-feira,27. A mulher ainda parcelou o pagamento em duas vezes.

Segundo a polícia, o dinheiro seria para comprar drogas e a recém-nascida teria sido vendida para um casal que mora em Saquarema. Em abril de 2020 a criança foi resgatada pelo Conselho Tutelar de São Pedro da Aldeia, Região dos Lagos. 

Marilza, que teve 10 filhos, foi presa na última terça-feira, 27, por agentes da 125ª DP (São Pedro da Aldeia). Além da venda da filha, a mãe é investigada por ter vendido outros sete filhos, de acordo com o delegado Milton Siqueira Júnior.

Elizângela da Silva Pacheco, 42 anos, foi quem comprou a criança. De acordo com o juiz da 2ª Vara de São Pedro da Aldeia, Márcio da Costa Dantas, ela terá que prestar serviços à comunidade durante seis meses e pagar à ONG Patotinha da Aldeia três salários mínimos, o equivalente a R$ 3,300.

Marilza foi presa neste ano depois que um mandado de prisão preventiva foi expedido pela Justiça por prometer ou efetivar a entrega de filho a terceiro, mediante pagamento ou recompensa, crime previsto no Artigo 238 do Estatuto da Criança e do Adolescente.


    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários