Estátua de Borba Gato foi incendiada no último sábado, dia (24)
Reprodução
Estátua de Borba Gato foi incendiada no último sábado, dia (24)

Após atear fogo na estátua de Borba Gato , na zona sul da capital paulista, o autor do incêndio se apresentou voluntariamente à Polícia Civil para prestar depoimento nesta quarta-feira (28). Trata-se de Paulo Roberto da Silva Lima, conhecido como 'Galo', líder do grupo conhecido como Entregadores Antifacistas. As informações são do portal Uol.

"O ato foi para abrir um debate. Em nenhum momento, foi feito para machucar alguém ou querer causar pânico. Que as pessoas agora decidam se querem ter uma estátua de três metros de altura que homenageia um genocida e um abusador de mulheres", argumentou Galo.

Assim que chegou na sede do 11º Distrito Policial de Santo Amaro, Paulo alegou que o monumento trata-se de um "genocida e abusador de mulheres". A Justiça decretou sua prisão temporária, bem como de sua esposa.

Em nota, Galo afirmou que sua esposa Gessica "sequer estava presente no ato político do dia 24/07 e tem uma filha de 3 anos de idade com Paulo, também detido nesta data." Confira:


Seu advogado, Jacob Filho, alegou que foi pego de surpresa com a decisão. "O telefone utilizado pelo Paulo está em nome da esposa. É só por essa razão. Ela não tem ligação nenhuma [com o ato]", argumentou.


    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários