Vereadora Marielle Franco, morta em março de 2018
Reprodução/Flickr
Vereadora Marielle Franco, morta em março de 2018

As famílias da vereadora Marielle Franco e do motorista Anderson Gomes, assassinados no início de 2018, contestam a  versão contada por Julia Lotufo, viúva do miliciano Adriano da Nóbrega, em delação ao Ministério Público do Rio.  Segundo reportagem da Veja , a viúva do miliciano revelou que Marielle e Anderson teriam sido mortos a mando de integrantes da milícia da comunidade Gardênia Azul.

Os familiares das vítimas, porém, duvidam da versão, segundo o colunista Ancelmo Gois, do Globo . Isso porque Marielle Franco não tinha atuação política na região da Gardênia Azul.

Ainda que Ronnie Lessa e Elcio Vieira de Queiroz tenham sido presos pela execução das duas vítimas, o verdadeiro mandante e a motivação dos assassinatos seguem desconhecidos há três anos e quatro meses.


    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários